quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Medicação Preventiva?

Hoje eu li algo muito interessante... fiquei durante todo o dia processando o conteúdo dessa leitura.

Bem, uma vez professora, sempre professora, né? Tenho que explicar tudo muito bem explicadinho!
Vocês devem saber que existem 65705601875602347515 de diferentes tipos de vírus da gripe! E ainda há mais por vir...
Os vírus são bichinhos especializadíssimos em mutações. Pra quem não sabe, mutação é qualquer alteração no DNA do vírus (neste caso), que altera a função (ou doença) deste vírus.

Também ocorrem mutações em fungos (frieira nos pés, é causada por fungo!) e bactérias, outros bichinhos micrsocópicos.
A indústria farmacêutica cria agrotóxicos cada vez mais tóxicos para eliminar estes bichinhos das plantações, mas estes bichinhos estão sempre mutando o seu DNA para se tornarem imunes a estes agrotóxicos. Aí, vêm novos e mais potentes agrotóxicos...

Mutações em bactérias são muito fáceis de aplicar no dia-a-dia. Lembram-se quando o Pen-V-Oral curava tudo? Meningite, peritonite, encefalite... hoje, as bactérias fazem salto ornamental numa solução desse antibiótico. Não cura nenhuma perebinha de menino.
Hoje em dia é um tal de amoxilina, se não funcionar mais (mutações do DNA bacteriano), tenta-se a amoxilina associada com clavulanato de potássio... e por aí vai. Quando o médico diz "esse é um antibiótico de última geração" as pessoas deveriam arrepiar de medo das bactérias que soltas estão por aí!

Ahhhhhh, e as baratas?
Não existe ser no mundo que já sofreu mais mutações que as malvadas das baratas! Elas são tão adaptadas, já sofreram tantas mutações, que se o mundo explodir, somente as baratas sobreviverão... sabe por que? Porque, se tiver pão, elas comem pão. Se tiver madeira, elas comem madeira. Se tiver gosma, elas comem gosma. Se tiver lama, elas comem lama. Se não tiver nada, elas jejuam por até 30 dias. Não é à toa que essas coisas nojentas estão sobre a face há mais de 300 milhões de anos.

Nossas células também sofrem mutações. Cigarro provoca mutação das células do trato respiratório, então elas começam a se multiplicar sem saber a hora de parar (tumor).

No caso dos seres microscópicos e dos insetos, é mais fácil observar os efeitos de uma mutação, já que essas populações se reproduzem muito rapidamente.

MAS, CAMILLI, POR QUE VOCÊ ESTÁ DIZENDO ISSO TUDO?

Porque, uma das coisas que li hoje foi: "(...) apesar das aplicações mensais com pipetas inseticidas vira e mexe encontram carrapatos vivos nos cães. É difícil saber o que está por trás disso."

Elementar, meu Caro Watson! As antipáticas pulgas e temidos carrapatos estão desenvolvendo mecanismos (mutações) para que o fipronil, permetrina, imidacloprida, nãoseimaisoqueprida sejam inóquos a eles.
E isso, eu falo com bastante propriedade, pois é a minha área, GENÉTICA.
Todo organismo tende a desenvolver mecanismos evolutivos (mutações) para perpetuar a sua espécie.
Claro, que a indústria farmacêutica não diz isso.
Claro que a indústria farmacêutica estimula a utilização de inseticidas, ao máximo, para depois inventar outro inseticida mais potente e vender mais.
Claro, que - pelo visto - muitos veterinários e zootecnistas faltaram essa minha aula de Genética na faculdade.

Óbvio que meus frenchies usam spray de fipronil quando os levo a locais onde a infestação de insetos sangue-suga é alta. Isso inclui a fazenda, que eles amam! Isso inclui as exposições cinófilas, onde encontramos muitos cães de todas as procedências possíveis.


Mas, para dentro de casa e para os passeios no cimento da rua, não acho que vale a pena ficar intoxicando meus cães (apesar dos fabricantes jurarem que não faz mal!).
Descobri que 1 colher de vinagre de maçã, diariamente, nas tigelas de água dos meus frenchies, fazem milagres!