quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Belíssima

Tenho vários assuntos para comentar hoje: uma ligação que recebi ontem à noite, um e-mail que recebi da Sylvia, idealizadora do site Cachorro Verde, me pedindo que descrevesse a ela as principais mudanças que percebi em meus cães, desde que iniciei a alimentação natural e o longo passeio da Belinha.

Mas, falar de tudo, agora, vai ser impossível!

Então, vou falar da minha lindíssima, fofíssima, meiguíssima, carrapatíssima e barrigudíssima Belinha.

Saímos para a consulta veterinária pré-natal.
Segundo o vet, as mucosas estão coradíssimas (obrigada, alimentação natural!), ela está muito bem e pelo ultra-som os sete... hummm, quê, como, quando? Seteeeeee? SIM, sete - seven - sept - sieben - seis mais um - nove menos dois... bebês, visíveis e distinguíveis pelo ultra-som, estão bem, com batimentos cardíacos dentro da faixa da normalidade.



Já começei a medir a temperatura da minha florzinha e assim que cair 1ºC, vamos para a maternidade, avaliar o momento de fazer a cesárea.

Depois de notícias tão surpreendentes - ser avó de séptuplos não acontece todo dia -, eu e Belinha fomos dar uma volta para espairecer! Qualquer mulher normal iria ao shopping fazer compras numa situação de stress, não é mesmo?

Mas, não é isso que uma cachorrólatra faz. Uma cachorrólatra vai comprar "coisas de cachorro".

Pois bem, nós duas fomos para uma loja chamada Cofermeta, situada no bairro Barro Preto de BH. Nesta loja vendem ferramentas, material hidráulico e outras coisas do universo masculino. Imaginem eu, de vestido floral, e Belinha gravidíssima, em sua coleira cor-de-rosa lá dentro? Para minha surpresa, Belinha foi SUPER bem recebida (até por isso estou citando o nome da loja). O segurança viu que ela estava meio cansadinha e trouxe água para que bebesse, a moça do caixa veio fazer festa, os vendedores fizeram carinho, uma moça cliente viu ela roncando e achou lindo!

Olhem... só sei que foi IMPOSSÍVEL não comprar o Dremel ali!!!

A propósito, Dremel é um dispositivo que lixa a unha dos cães, desgastando-a rapidamente. Quando o cão não fica em contato com piso áspero constantemente, os vasinhos sanguíneos de dentro da unha proliferam-se e fica mais difícil cortar a unha curta sem sangramento. E, em algum tempo, o cão está com unhas de bicho preguiça.

"Dremelar" a unha faz com que os vasinhos se retraiam naturalmente, fazendo as vezes do piso áspero. Dessa maneira, é possível que o cão fique com as unhas sempre curtinhas, caso contrário, os dedinhos ficam espalmados e o cão fica com dificuldade de pisar corretamente.

Querem aprender como "dremelar"? Leiam aqui.
E se quiserem comprar o Dremel, podem ir lá na loja que eu fui. Au-aus educados são super bem vindos lá!
:)