sábado, 29 de novembro de 2008

Sábado de manhã

Todos os dias, quando os Adoráveis escutam a nossa voz, de manhã cedo, começam a gritar desesperadamente dentro do X-pen. Deve ser algo, em caninês, como "Estamos aqui, acordamos, não se esqueçam de nós!"

Isso só acontece quando escutam a casa acordar.
Não importa se é às 5h, às 7h ou às 9h da manhã...

Bem... ontem, filhos humanos na casa do tio = Camilli merece comemorar a sexta-feira. Mas, engraçado, os Adoráveis não pensam assim.

Levantei, pé-ante-pé para ir a cozinha beber água e todos que estavam dormindo, roncando, com o barrigão para cima, como a Daiane dos Santos, rodopiaram no ar, ficaram em pezinhos e começaram a gritaria...

Bendita foi a hora que deixei o papá deles pronto ontem a noite! Coloquei na vasilhinha, forrei o chão da cozinha e lá estão todos eles. Posso vê-los daqui, fazendo um rendez-vous danado.

Deixo-os lá um pouquinho - com seus brinquedos e caminha - e fico aqui, sem conseguir dormir, mas caindo se sono.
Bela, Ninna e Leo apenas observam o furdunço através da gradinha.
:)