sábado, 13 de dezembro de 2008

Presente de Natal

Chega a época de Natal, começam as ligações que eu ODEIO.

(outra pessoa) - Oi, tudo bem? Você tem buldogue francês? Quero dar um de presente de Natal para minha namorada.

(eu) - Olha, eu não vendo meus cães como "presente". A pessoa que vai se responsabilizar pelos cuidados de meus cães é que deve entrar em contato comigo e, inclusive, assinar o contrato de compra e venda.

A pessoa do outro lado da linha finge não escutar.

(outra pessoa) - Ah, sei. Mas, é que eu andei vendo os preços nas pet-shops e achei muito caros. Os seus também são caros assim? Gostaria de dar de presente de Natal para minha namorada.

(eu) - Sim, são muito caros. Mas, como eu disse, nós não vendemos cães como presentes de Natal.

(outra pessoa) - Ué, por que?

Bem, a essa altura do campeonato, eu já estou totalmente frustrada com toda essa história de pet-shop, cães como presentes de Natal, desconhecimento absoluto de "posse responsável", que não hesito em falar:

(eu) - Porque nossos cães são judeus, eles não celebram o Natal.

(outra pessoa) - Nossa... sério? Não sabia que tinha isso.

Honestamente, é preciso ser Dalai Lama para não perder a paciência com algumas pessoas.
Eu me sinto muito mal por ter mentido para este senhor (meus cães são agnósticos, na verdade), mas algumas pessoas me atentam muito.