domingo, 1 de fevereiro de 2009

VEJA deu VEXAME!

Pois é...

Invisto a minha vida cuidando de meus cães, estudando sobre a raça, fazendo scans genéticos, planejando acasalamentos (cosanguíneos ou não), selecionando futuros proprietários, falando aos 4 ventos sobre posse responsável de animais.

Vocês, por sua vez, têm o precioso cuidado de procurar por um criador que preze pelo desenvolvimento raça, que crie por opção (e não por falta dela), que dedique-se ao que faça, etc., etc., etc. (10000000000 de etc.), ANTES de adquirir um adorável filhotinho.

Mas, então, aparece uma revista de circulação nacional e escreve este monte de BOBAGENS para "informar" milhares de desavisados:



Hããããããã? Buldogue francês se adapta bem ao clima brasileiro? Será que quem forneceu essas informações desconhece os problemas de hipertermia e os problemas de pele dos frenchies brancos?

Hããããããã? Buldogue francês não late quando fica sozinho no apartamento? SÓ SE FOR DESVOCALIZADO. Buldogues franceses são carentes emocionais por natureza! A solidão é insuportável para eles.

Hããããããã? Buldogue francês a R$ 5000,00? Este é o valor de um filhote de mega campeões, muito promissor, segundo os padrões da FCI, provavelmente destinado a dogshows/reprodução. Obviamente, um cão adulto, destinado a dogshows/reprodução pode valer muito mais do que isso.

A jornalista que redigiu este texto, Carolina Romanini, foi extremamente infeliz e irresponsável. Ela não imagina como estimulou a imaginação de inúmeros criadores de fundo de quintal e fabricantes de filhotes. Sem imaginar, incentivou a prostituição e a degeneração das raças citadas na matéria (em estrutura física e temperamento), o que leva a insatisfação de quem os adquire e, consequentemente, aumenta exponencialmente o número destes animais abandonados em CCZs, abrigos ou mesmo na rua.

Essa matéria foi uma irresponsabilidade social.

Seguem outras, das inúmeras, bobagens do texto: