domingo, 8 de março de 2009

Viajando com nosso au-au

Aqui em casa, os frenchies são parte da família e viajar sem algum deles (impossível levar todos) é algo incogitável. Eles ficam felicíssimos por poderem estar mais próximos de nós, numa rotina diferente, em que podemos dar-lhes mais atenção, etc...
É uma experiência muito positiva, pelo menos na minha opinião!

O Akin e a Belinha são viajadíssimos. Com o Tigre já não posso viajar para qualquer lugar, pois é um cão que encrencará os outros cães machos presentes no ambiente, marcará território e isso dentro de um hotel é inadmissível.

Recentemente, na minha viagem de descanso, o Leo foi comigo e portou-se muito bem. Ele ainda não havia explorado muito o Brasil, desde que chegou do Canadá.

Mas, para viajar com nossos cães é imprescindível seguir a risca este manual do pet viajante.

Infelizmente, muitos hóteis no Brasil não aceitam pets porque nem todas as pessoas se preocupam com o bem estar dos outros hóspedes do hotel.
Já ouvi relatos de cadelas levadas no cio! Cães doentes! Cães não socializados! Filhotes que faziam #1 e #2 nas dependências do hotel!
Assim não dá, né pessoal?

Meus amigos, Martin e Dario, que criam whippets e frenchies estavam na lutaaaa para encontrar um hotel que aceitasse cães, pois vão levar suas SUPER educadíssimas meninas, Zazá, Crystal e Dreamy, à Exposição Internacional do Campinas Kennel Clube.
Após muitos e-mails e recusas de hotéis, descobriram a charmosa Chácara da Felicidade.
Fica a dica de um agradável hotel que aceita pets!


Leo, em momento de profunda reflexão, em suas férias