quarta-feira, 10 de junho de 2009

Dessensibilizando Tigre e Leo

Se Tigre ou Leo andam de carro dentro do crate, o passeio é uma maravilha! Ambos, comportam-se como "Lords". Ficam tão tranquilos, que até dormem.




Mas, quando os filhos humanos tem que ocupar o banco traseiro do carro, Tigre e Leo me deixam LoUcA.
Por causa do comportamento deles, quando tenho que sair com a família humana de carro, eles estão sendo preteridos.
Ó, pobre coitados.
Vamos tentar resolver isso!
:)



O TIGRE

Fica agitadíssimo dentro do carro. Começa a pular por cima dos meninos - ou de quem estiver sentado no banco. Quer ver o movimento da rua por todas as janelas ao mesmo tempo.
Sim, eu sei... Isso é FALTA DE EDUCAÇÃO, também.

É como dizer que "buldogues franceses são supeeeeeerrrrrr agitados... reviram o lixo, pulam sobre os donos, sobem em cima do sofá, latem para desconhecidos... não param 1 segundo."
Isso não é agitação. Isso é falta de educação, também.

Tigre está precisando ser educado a andar dentro do carro - fora do crate -, e está precisando aprender a controlar a sua ansiedade.



O LEO

Ele amaaaaaaaa tanto passear de carro que fica eufórico e eufórico e eufórico.
Começa a respirar e respirar e respirar, cada vez mais forte e mais forte e mais forte.

Sabe aquela sensação que a gente sente quando vai fazer alguma coisa terrivelmente sensacional? O coração dispara e a respiração fica mais rápida? Isso é o Leo dentro do carro.
O problema é que ele é braquicefálico. Outro problema é que ele nasceu em uma cidade MUITO fria, onde os verões MUITO quentes beiravam os 28ºC!
Imaginem ele enfrentando o nosso verãozinho de 40ºC, em janeiro? Deve ter se sentido no inferno, coitadinho...

Ele já entrou em início de quadro de hipertermia dentro do carro por conta deste estado eufórico. Andar com ele, só com o ar condicionado no t-a-l-o.
Mas, aí, os meninos ficam reclamando do frio! (programo 18ºC)
E, ainda há outro problema: e na hora de descer do carro? O choque térmico que sofremos é avassalador.



Bem...
Então, resolvi trabalhar a ansiedade deles. O nome da técnica que eu utilizo é a dessensibilização.
A dessensibilização é muito utilizada para ajudar os cães a vencer fobias em relação a objetos ou situações. Aquilo que desencadeia sentimentos negativos, no cão, é apresentado de forma segura e/ou a uma distância segura.


Há umas 02 (duas) semanas, depois do passeio diário, depois de terem tomado aguinha, depois de terem relaxado um pouco, resolvi iniciar o processo.

Levo o Leo para o carro, estacionado na rua, o coloco na poltrona do co-piloto e fico lá, dessensibilizando-o, fazendo palavra-cruzada com o carro desligado.
Por hora, o carro fica desligado com os vidros abertos, depois ligo o carro, o ar condicionado e fecho os vidros, desligo de novo... Leo observa, conversamos. Tudo com muita tranquilidade.

Ele olha para lá, olha para cá, respira, respira, me encara, "E aí, vai ser só esse lenga, lenga?"

No começo era pouco tempo, fomos aumentando até ele cansar de respirar e deitar no banco.
Hoje, já alcançamos a incrível marca de sair tranquilamente para dar uma volta com ele fora do crate! Mas, o treinamento ainda não acabou.
:)

Com o Tigre o processo é um pouco mais complexo.
Tigre é mais levado!
Dentro do carro, pulava do banco da frente para o banco de trás. Ele não me dava tempo para palavras cruzadas.
Precisei desenvolver um produto Tabajara para funcionar como barreira, assim ele não consegue pular. Ajudou muito!

Limitado no banco da frente, queria vir para o meu colo. Solução? Spray de água em sua face. Problema resolvido.

Agora ele já não pula para o banco de trás e sabe que não pode vir para o meu colo dentro do carro.
Mas, ele não se entrega tão facilmente quanto o Leo. Tem fascínio pela janela do carro e fica bastante ofegante também.
Eu tenho paciência!





Sabem de uma coisa?
Também estou precisando ser dessensibilizada.
Todas as vezes que penso em ir para a França, meu coração dispara, minha respiração fica ofegante, começo a ter sonhos compulsivos com o Vale du Loire, a Cote d´Azur, Chamonix, Mont Blanc... ou então, perco completamente o sono.

E, quando volto daquele país maravilhosos, sofro de "depressão pós-France".
Preciso de um patrocínio dessensibilizador com viagens completas de alta frequência para a França!

Isso! Descobri a solução do meu problema!
Como não havia pensado nisso antes?
:))