quarta-feira, 8 de julho de 2009

Catarata Juvenil Hereditária em Frenchies

Essa semana recebi um comentário, aqui no blog, de uma mamãe dizendo que seu frenchie, Tyson, possui catarata juvenil, além de hemivértebra.
Hemivértebra é bastante esperado para qualquer buldogue francês.
Sobre a catarata juvenil, vou falar agora.

Mamãe do Tyson, você me escreve em particular? Gostaria de trocar idéias com você!
:)


-------------------------------------------------------



Embora não exista nenhum artigo publicado, na literatura científica, descrevendo as características da catarata juvenil (CJ) em buldogues franceses, os estudos pilotos mostram que a doença desenvolve-se no 1º ano de vida, é bilateral, simétrica e progressiva.

Sabe-se que a CJ, em frenchies, é uma herança autossômica recessiva.
Isso significa que para que a doença se manifeste, são necessárias 02 (duas) cópias do gene.
Se o cão possui 01 (uma) cópia do gene da doença e 01 (uma) cópia do gene normal, diz-se que ele é portador da doença, mas possui visão normal normal, e não desenvolverá a doença. Entretanto, durante o processo reprodutivo, continuará "passando" o gene da doença a seus descendentes.
Se as 02 (duas) cópias do gene forem normais, possui visão normal normal, não desenvolverá a doença e nunca transmitirá genes anormais a sua prole.

Cães com CJ não devem reproduzir.
Pais de cães com CJ, portadores assintomáticos do gene, podem reproduzir somente se o criador puder fazer o controle rigoroso, através de exames de DNA, de todos os seus cães. Desta maneira, ele nunca acasalará dois animais portadores assintomáticos do gene e poderá manter o controle da doença.


Desde 2008, os laboratórios do AHT, no Reino Unido, estão disponibilizado um teste genético capaz de identificar se um frenchie é portador de cópias do gene para CJ.

A CJ afeta a lente do olho (esta lente chama-se cristalino), deixando-a “esbranquiçada” e conforme a evolução, pode ficar toda branca, impedindo a visão do animal. Por isso, é comum o proprietário queixar-se que o seu companheiro está cego. Algumas vezes, a capacidade de enxergar está intacta, o que ocorre é que o cristalino, que deveria ser transparente, torna-se opaco, obstruindo a visão.

A partir do momento em que a opacidade da catarata se instala, não é possível tornar o cristalino transparente novamente. A única solução é a cirurgia, o que implica a remoção da lente que pode ou não ser substituída por outra.
A principal função da lente é focar, cerca de um terço da focagem das imagens é feita na lente.
Um cirurgia bem sucedida não devolve uma visão 100% aos cães, mas nos casos bem sucedidos, a melhoria da visão é muito significativa. Nos casos onde a lente não é substituída, que ainda constituem a maioria, os donos são também capazes de notar que a visão do cão melhora consideravelmente, sendo a principal diferença, a dificuldade na focagem de objetos próximos.


-------------------------------------------------------


O diagnóstico de doenças genéticas é o melhor amigo do criador de animais de qualquer espécie.
Criadores de cães querem aus sem doenças articulares.
Criadores de equinos querem cavalos sem doenças cardíacas.
Criadores de aves querem plumas volumosas.

Não é possível, nem admissível, hoje em dia, criar cães de raça que sejam apenas bonitos. É imprescindível investir na qualidade da saúde genética de uma criação.

Os países situados no hemisfério norte do globo terrestre levam franca vantagem sobre nós quando se fala em testes diagnósticos. Há várias empresas especializadas em diagnóstico clínico e genético, de reconhecimento mundial:

DNA Diagnostic Center - DDC
Veterinary Genetics Services
Animal Health Trust - AHC
Canine Health Information Center - CHIC
Orthopedic Foundation for Animals - OFA
Canine Eye Registration Fundadion - CERF
OPTIGen
Genetic Tecnologies Limited - GTL
HealthGene
Antagene

Entretanto, apesar de não possuirmos os mesmos recursos, outros esforços podem ser feitos no sentido de trabalhar um diagnóstico!
:)