segunda-feira, 14 de setembro de 2009

O yorkshire "bibelô"

O pouco que sei sobre os peludinhos yorks, já é o bastante para saber que eu não seria a pessoa ideal para criar essa raça. Felizmente, as criadoras Christiane Figueredo e Cátia Pampolini o fazem muito bem.



YORKSHIRE BIBELÔ

De acordo com a padrão oficial da raça, o yorkshire deve pesar até 3,1 kg. Os "bibelôs" pesam em torno de 0,5 e 1,0 kg. Cães miniaturizados tendem a sofrer muitos problemas de saúde (ortopédicos, cardíacos), além de serem grandes vítimas de traumas.



PARTE I:

Tenho uma cunhada bacanérrima e ela é dessas pessoas que descobre tudo, inclusive onde qualquer coisa (roupa, sapato, bolsa, tapete, planta, móveis, etc., etc. e etc. mesmo), com os melhores preços e boa qualidade estão sendo vendidos.
Há algumas semanas atrás, eu a levei a um destes lugares que ela descobriu e chegando lá, minha surpresa: a proprietária do lugar estava com uma cadelinha da raça shitzu grávida. A cadela estava suja, com 2 lacinhos vermelhos na cabeça... Antipatizei de cara. Criadora de fundo de quintal.
Para piorar a situação, enquanto estava lá, recebi a ligação de alguém querendo informações sobre meus frenchie-filhotes, então expliquei como trabalho, sobre a seleção de futuros proprietários, etc.
Bastou eu falar isso para a dona da loja saltar sobre mim e perguntar: "Ah, você também é vendedora de cachorro? Eu agora quero comprar um yorkshire bibelô, mas esse não vou cruzar não, é para minha filha de 5 anos. "
Sangue de Jesus tem poder!!! Quase tive um piripaque. Achei melhor não explicar muito o meu trabalho de melhoramento genético da raça, acho que estava além do poder de compreensão da moça. Apenas sugeri não comprar o yorkshire bibelô porque eles "quebram" à toa, ainda mais nas mãos de uma criança de 5 anos...


PARTE II:

Aconteceu com uma veterinária que conheço.
Ela estava na Feira Hippie, que acontece todos os domingos, na Av. Afonso Pena, em BH. Bem em frente ao Othon Palace Hotel, havia uma figurinha chamada Alex, carregando um filhote de yorkshire, dizendo que aquele tratava-se de um "yorkshire bibelô" de 2 meses de idade.
Minha amiga veterinária aproximou-se da multidão que cercava o rapaz e viu que o cachorrinho estava usando vestidinho, chapeuzinho e sapatinho. Um mimo...
Ela pediu para ver aquele "mimo" e constatou que a fontanela (moleira) do cachorrinho estava bem aberta, o cãozinho mal podia enxergar e, pasmem, não possuía nenhum dente! (sim, o tal Alex permitiu que ela abrisse a boca do cãozinho com a mão "suja de Feira Hippie")
Na mesma hora, ela mandou chamar a polícia porque o rapaz estava alí enganando aquelas pessoas. O cãozinho não tinha nem 30 dias de vida... O rapaz fugiu.


O pior é que há quem compre cães com essa procedência e depois ainda queira reclamar no kennel clube.


Há uma tendência muito grande em miniaturizar as raças caninas para atender uma demanda COMERCIAL. Cães pequenininhos comem pouco, o xixi deles é minúsculo, o cocô idem e eles latem baixinho.
O grande problema é que não há como investir em filhotes saudáveis se a única característica que se deseja selecionar é o tamanho/peso da prole.

Muitas pessoas não sabem, mas não existe o poodle mini ou micro (nem sei qual é nome que inventaram para o pobrezinho). O tamanho mínimo admitido para o poodle, segundo o padrão da raça, é 24 cm. Aqueles cãezinhos com 10 cm de altura e 2kg de peso são doentes! Apresentam uma anomalia estrutural, mas são vendidos como "preciosidades".

A mesma coisa está acontecendo com o yorkshires "bibelôs". Estão acasalando pais pequenos "anômalos" e obtendo filhos doentes, como se isso fosse uma vantagem.


Aqueles que procriam cães, miniaturizando filhotes não estão promovendo o desenvolvimento da raça. Estão DEGENERANDO as raças caninas e, por isso, devem ser denunciados aos órgãos responsáveis. Estão prestando um desserviço às cinofilia, por não estarem contribuindo com o melhoramento genético da criação de cães. Obviamente, possuem interesse puramente comercial.





Para fazer qualquer denúncia, escreva para:

---> Em Belo Horizonte e Grande BH:
Kennel Clube da Grande BH
Rua da Bahia 1148 - Sala 1141
Belo Horizonte - MG
CEP 30.160-906


---> Para quem não reside na Grande BH:

Conselho Disciplinar da CBKC
Rua Newton Prado, 74 - Bairro São Cristovão
Rio de Janeiro - RJ
CEP 20.930-445


Envie os seguinte documentos:

- os nomes, prenomes, estado civil, profissão, qualificação e domicílio do representante e do representado;
- a prova da capacidade do representante, que pode ser feita por meio de cópia de documento de identidade;
- o histórico dos fatos;
- o rol das testemunhas, quando houver, e as sua qualificação;
- indicação das provas com que o representante pretende demonstrar a verdade dos fatos alegados;
- o pedido, com as suas especificações, de forma clara e expressa.