sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Os dias depois de hoje


Quem não se comoveu com o caso da jovem de 18 anos, que morreu estrangulada pelo namorado de 26 anos, num surto enlouquecido de drogas?


Sempre que um caso destes acontece, chamo meus filhos, mostro a eles a realidade e, geralmente, chegamos à conclusão que as drogas devem ser profundamente respeitadas e temidas. Melhor não duvidar do poder delas.

Quando aconteceu este assassinato, fiquei tão emocionalmente abalada que pensei em falar sobre isso no blog. Mas, logo mudei de idéia, afinal, este é um blog cachorrólatra... e se eu começasse a fazer minhas divagações, logo estaria falando sobre planeta sustentável, política e outros assuntos que fogem do tema daqui.

Mas, voltando ao tema deste post, honestamente, não sei o que é melhor para a nossa atual situação de total caos urbano. O crime organizado - encabeçado pelo tráfico - aterroriza nossas vidas, seja por conta do pânico dos assaltos, das balas perdidas e, pior, do medo de que nossos filhos sejam conduzidos pelo caminho das drogas.

Talvez fosse melhor que as drogas fossem legalizadas - como na Holanda. Dessa maneira, o tráfico iria diminuir, não iria? Será que a galera arriscaria-se a comprar droga de ilegais se houvesse um pub que vendesse o barato legalizado? É hipocrisia acreditar que a legalização incentiva o consumo. O consumo sempre existiu, mesmo não sendo legalizado.

Ou, quem sabe, deveríamos lutar por leis mais rígidas, que punissem o usuário, o "aviãozinho", e todos os outros intermediários, além do próprio traficante? Não vejo como desestimular o consumo se o usuário não é punido.

Bem, sei lá, entende? O pior é que ainda há "forças ocultas" em nosso poder judiciário e legislativo...
Mas, entendo que MUITOS crimes são cometido em nome das drogas.
Inclusive, acabo de ficar sabendo que o roubo de Iv e Sophia deu-se por conta delas. Eles seriam trocados por drogas! Um dos cães já havia sido negociado e nem estava mais em Florianópolis (casa de seus "pais").


Frenchies trocados por drogas? Que país é esse?


Qual é o nosso papel de cidadãos nisso?
O que nós podemos fazer para melhorar essa situação?
Eu procuro respostas e quero fazer a minha parte.