terça-feira, 20 de abril de 2010

O Blog Responde! Meu esquema vacinal

Cecília deixou um novo comentário sobre a sua postagem "O Blog Responde! Tipos de vacinas

": 

Oi Camilli, quanto tempo... hehehe.
Depois que parei de ser "inguinoranti", e passei a ler teu blog e persquisar mundo a fora,comecei a tomar decisões na vida clínica de meus pets, ou seja, parei de dar as vacinas de giárdia e o reforço da lepto, já que aplicamos a V8(q tb tô estudando...), então li teus posts sobre o assunto.
Mas gostaria de saber quais vacinas teus pets tomam? A vacina contra gripe (intranasal), tu aconselhas? 



Bjks, Cecília 



--//--

Ei Cecília!

Meu esquema vacinal aqui é:


Vacina múltipla (na verdade, só cinomose, parvovirose e hepatite infecciosa importam, para quem vive em área urbana, mas não existe a V3 disponível)

- 1a. dose da V6 (quando encontro) ou V8: 9-10 semanas de idade
- 2a. dose da V6 (quando encontro) ou V8: 30 dias após 1a. dose
- 3a. dose da V6 (quando encontro) ou V8: 30 dias após 2a. dose (opcional, faça a titulação para saber se é necessária)

Reforço 01 (um) ano após a última dose e, depois, reforços trienais - no mínimo, se você não quiser titular os anticorpos.

Os reforços poderiam ser com a V2 (parvovirose e cinomose), porque hepatite infecciosa ocorre apenas em filhotes. A questão é encontrar um veterinário que disponibilize a V2... encontrar a V6 já é muito difícil!

Há muitas pesquisas indicando que a imunidade conferida pelas vacina de parvovirose, depois do primeiro reforço com 1 ano de idade, é bastante superior a 3 anos, talvez, vitalícia!


Vacina contra leishmaniose quando o esquema da vacina múltipla acaba.
Atualização 24/05/2016: não faço mais essa vacina. Não existem evidências significativas que comprovem que a vacina contra leishmaniose funcione e, além disso, ela contém mercúrio como conservante (neurotóxico e imunotóxico).



Vacina antirrábica

Sempre fazer essa vacina após os 6 meses de idade - em cães controlados.

A raiva é uma doença transmitida por morcegos hematófagos (que sugam sangue) e pela mordida de outros cães contaminados pela doença. Do ponto de vista estatístico, as chances de um cão adquirir a doença raiva, em um centro urbano é bastante pequena, principalmente se for um cãozinho de apartamento, que só sai na coleira - a incidência do doença é muito baixa.

Reforço 1 ano após a última dose e, depois, reforços trienais.

Há pesquisas demonstrando que a vacina antirrábica, após o primeiro reforço com 1 ano de idade, confere imunidade de até 5 (cinco) anos. Há outras pesquisas em andamento sugerindo que essa imunidade pode ser superior a 7 (sete) anos!

O governo recomenda essa vacina aos 4 meses de idade, do cão, por se tratar de uma zoonose.




Eu já fiz muito a vacina contra tosse dos canis (gripe canina). Hoje não faço mais.
Há uma indicação bem específica para o cão fazer uso dessa vacina: frequentar aglomerações caninas.
Para o cão que frequenta o pet shop semanalmente (já vi coisas nojentas em pets-shops...), creches caninas, hoteizinhos e outros tipos de situações semelhantes, até acho a vacina interessante. Fora isso, é excesso!

:)



Na verdade, a questão não é parar, mas sim, considerar, quando for usar!




>>> Leia também: Novos Paradigmas Sobre Vacinação