sábado, 26 de junho de 2010

Quero comprar um buldogue francês

Quando quero adquirir um bem de consumo, como uma geladeira, por exemplo, a minha rotina é:
- pesquisar preços,
- ver a melhor relação custo/benefício do produto,
- comprá-lo, se me atender.

Curiosamente, percebo que muitas pessoas que desejam adquirir um cão, também o tratam como um bem de consumo!
Apesar de todos os meus esforços linguísticos em meu website, diariamente recebo e-mails do tipo:

"Tem filhote? Quanto é? Envia?"


A necessidade de saber o valor de um filhote é inegável, mas não é sobre isso que eu me preocupo. Me preocupo com o fato da maioria das pessoas não se preocupar com o próprio cãozinho.
Como ele é? Como se comporta? Tende a ser tímido? Tende a ser atrevido? Tem tendências dominantes? É sociável? Você acha que ele se adaptará ao nosso estilo de vida, tendo esses traços de personalidade?

Outro dia, uma pessoa ficou furiosa comigo porque queria ver fotos dos meus filhotes para que pudesse escolher um e eu me neguei a fazê-lo. Poxa... nem batatas da feira escolhemos por fotos!
Alguns seres humanos precisam sair da sua suposta onipotência e entender que devemos respeitar  a natureza de cada ser vivo. Cães não são enfeites inertes de prateleira que compramos em supermercado!

Portanto, se você pensa em adquirir um buldogue francês - ou um cão de qualquer raça, ou sem raça - converse MUITO sobre o temperamento antes.

Cães de raça, bem selecionados, que não vivem enjaulados em canis e tem a oportunidade de potencializar suas características de temperamento durante a fase de socialização (até 3 meses de idade), certamente desenvolveram o que o padrão da raça sugere.
E, obviamente, existem diferenças individuais entre os cães da mesma raça, que devem ser levadas em conta, no momento da escolha de um lar.


Os testes de Volhard e Campbell jamais superam a experiência diária do criador (idôneo e cuidadoso, obviamente).









Leia também:

>>> Escolhendo uma raça: coisas que importam
>>> Fontes de informações sobre raças de cães
>>> Ter ou não ter um cão