quinta-feira, 1 de julho de 2010

Comunicação Canina: A linguagem da cauda

A cauda tem uma linguagem própria. Os cães com caudas muito curtas, como os frenchies, ou com caudas amputadas ou que por questões estéticas tenham sido alteradas em relação à forma original podem encontrar-se em desvantagem na hora de estabelecerem a comunicação. É muito comum ver os cães sem cauda meneando toda a parte traseira para compensar a sua ausência.

Os cães utilizam as caudas para enfatizarem os sinais expressos pelas posturas facial e corporal, ou vocal.

A colocação da cauda em posição erguida está normalmente associado com dominância e em posição baixa com submissão. É importante reconhecer que é mais provável que a cauda indique dominância e submissão que agressividade e medo. Por exemplo, um cão para mostrar agressividade e submissão ao mesmo tempo, colocará a cauda para baixo.


Abanar a cauda não significa só afabilidade. Uma cauda que se encontra alta, combinada com um ligeiro movimento, indica dominância. Um pequeno movimento com a cauda baixa pode ser uma preparação para ataque. Os cachorros e os cães jovens podem menear as suas caudas entre as patas para mostrar submissão incondicional. Este movimento provavelmente dissemina o seu odor despertando os sentimentos paternais dos adultos, apaziguando-os. Durante o ataque, os cães dominantes colocam a cauda ligeiramente abaixo da horizontal.

Normalmente a linguagem da cauda é clara. É muito possível que possam surgir dificuldades para a interpretar em cães com esta amputada ou deformada, especialmente se nos encontramos a uma certa distância.

No diagrama abaixo, podemos visualizar todas as posturas corporais e a correspondente interpretação, assim como a diferença de expressões corporais entre machos e fêmeas e entre dominantes e subordinados.

Clique para ampliar



Fonte: Centro Canino Vale de Lobos