quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Cães e crianças

Quando cães e criança não se entendem é porque há falhas, não só na socialização do cão, como na educação da criança que não sabe respeitar o cão como tal.

Mesmo naqueles casos quando o proprietário do cão não tem filhos, nem tenha intenção de os vir a tê-los, deve ensinar o cão a aceitar as crianças e a comportar-se corretamente na presença deles. Haverá sempre um dia em que receberá visitas que possuem filhos e aí podem acontecer desagradáveis problemas. Uma criança mordida por um cão, é desgastante pata todos.



Portanto, é importante estar muito atento às seguintes situações:

- SEMPRE supervisione as inetrações entre cães e crianças. Essa é a regra mais importante de todas!

- Se o cão agarrar com a boca os brinquedos das crianças, ensine-as a não tentar tirá-lo da boca e a pedir a um adulto para o fazê-lo;

- Ensine às criança que não deve-se correr na presença de um cão, já que irá incitá-lo a perseguição,  desencadeando-lhe o instinto de caça;

- Ensine o cão a não saltar com o propósito de saudar as pessoas - essa atitude é indesejada pela maioria dos adultos e assusta muito as crianças;

- Não permita que crianças e cães comam juntos, nem permita que a criança compartilhe sua comida com o cão. O alimento é um recurso importante para o cão... nesse caso, confusões podem acontecer. 

- Ensine à criança um dos princípios básicos da linguagem canina. Por exemplo: para nós, o abraço é sinal de afeto, para o cão pode ser interpretado erroneamente como sendo uma atitude invasiva. 




A foto é até fofa, mas os pais desta crianças estão arriscando bastante... 
Será que o cão se manteria impassível se fosse mordido pelo bebê?



Fonte: Texto adaptado de Centro Canino de Vale dos Lobos