segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Viver da venda de cães?

Um bom criador de cães - não essas coisas que vendem filhotes/coberturas no Mercado Livre ou cães a qualquer um que estiver disposto a pagar alguns vinténs - pode viver às custas da venda de cães?

Apesar de não ter o menor constrangimento em assumir os meus predicados como criadora responsável, assumo, também, que não sirvo como parâmetro, para responder essa pergunta por algumas razões:
1 - não vivo da venda dos meus cães;
2 - se vivesse, morreria de fome, porque não consigo ter mais do que 02 (duas) ninhadas por ano.
Três ninhadas em um ano me causa estafa-palpitações-medo-vertigem só de pensar! Tenho bastante dificuldade em delegar os cuidados dos filhotes a outras pessoas e cuidar de filhotes exige muito, cuidar de filhotes recém-nascidos de bulldogs franceses, exige mais ainda. Filhotes são deliciosos, mas dão muito trabalho!  



Mas, e os criadores responsáveis, que selecionam proprietários, exigem castração de sem filhotes e recebem seus cães de volta, caso algum imprevisto aconteça? E os criadores responsáveis que colocam o interesse dos cães, da raça e da sociedade,  acima dos seus  próprios interesses, mas mesmo assim, vivem da renda proveniente da venda dos seus cães?

Bem, não sei se existem criadores assim, mas, acho que, se existir, seu trabalho é louvável.

Tenho pensado nisso, quando as pessoas me escrevem. Não gosto de radicalismos... o caminho do meio é sempre mais sensato.




"The real Breeders are the heart and soul of the dog world. They stand proud and often alone, resisting commercialism, undeviated in their search for perfection and idealistic in their code of ethics." What´s a Breeder? Peggy Adamson, 1969