segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Vômitos, regurgitações e bulldogs franceses

Qualquer pessoa que tem frenchies, sabe que eles são propensos a problemas gastrointestinais.
Ah, você não sabe? Certamente esqueceu das bombas de gás expelidas pelo seu morcego!

Frenchies vomitam, regurgitam ou engasgam mais frequentemente que outros cães e seus donos se habituam a isso. Muitos, inclusive, acabam acreditando que isso é normal. Mas, será que é? Mesmo os  veterinários podem ficar perdidos com esses estranhos sintomas, porque, honestamente, há inúmeras causas para a maioria destas questões. E em muitos destes casos, isso pode até não ser patológico.

Este texto fornecerá algumas informações básicas sobre regurgitação/vômitos, juntamente com uma descrição dos problemas em braquicéfalos que podem causar ou agravar essa questão. Além disso, lhes  darei  algumas orientações sobre quando vocês devem consultar um veterinário.   



Aqui estão algumas definições sobre vômitos e regurgitação:

Regurgitação é passiva e aparentemente sem esforço no processo de explusão do alimento ou líquido pela  garganta/esôfago.  O que veio aparece inalterado, o cão não parece sentir-se mal  e pode voltar a consumir o que foi regurgitado.

O vômito refere-se à expulsão forçada de alimentos em estágios variáveis da digestão do estômago, é acompanhado de náusea e, geralmente, por outros sinais de que o cão sabe que algo está prestes a chegar (salivação, estimulação, deglutição). Assim, quando um cão vomita seu alimento, é importante observar  o processo e, também,  o conteúdo com cuidado, a fim de averiguar o que ocorreu.

Há um fenômeno em frenchies, chamado de "urping" or "spewing" , (tradução literal = urp/vomitar e spew/expelir), é como um tiro de líquido claro, pela boca ou pelo nariz. Bulldogs franceses podem assustar e engasgar depois deste evento. Se isso ocorrer com alguma regularidade, é importante você procurar orientação de um veterinário. (mas, não se preocupe se ocorrer apenas um evento isolado)

Alguns frenchies, também, desenvolvem um som estranho na parte final da garganta, como se precisassem expectorar catarro. Se essa é uma situação crônica ou intermitente, procure ajuda.

Certamente, se alguma destas situações ocorrem diariamente, semanal ou mesmo quinzenal, isoladamente ou em conjunto com outro, por favor, consulte o seu veterinário.
Um conselho: quando você visitar o vet, descreva o que está acontecendo ao invés de dar nome para o que seu frenchie está fazendo. Por exemplo, não diga que isso é “ vômito” ou “regurgitação”, a menos que você tenha certeza que realmente é. Estas são duas coisas muito diferentes e podem levar a diagnósticos e tratamentos, também, diferentes. Caso você tenha dúvidas quanto ao que é "normal", leve seu cão ao veterinário, pelo menos, assim, você terá paz de espírito!
Se você tem uma câmera digital que faz vídeos, você pode tentar um filme desses episódios para mostrar a ele.

Aqui está um punhado de possíveis causas para os sintomas acima.
Você pode querer discutir alguns ou todos destes com o seu veterinário, caso seu frenchie esteja tendo esses problemas:

- Síndrome braquicefálica

- Desordens esofagianas (esofagite, megaesôfado, hérnia de hiato, persistência do arco aórtico, etc.)

- Alergia alimentar
Vômitos crônicos e/ou engasgos em frenchies,  associados, ou não, com doenças inflamatórias intestinais podem estar associado com alergias alimentares.   Esta é uma condição onde o seu cão é realmente alérgico a algum ingrediente (s) na sua dieta diária.  Isso pode resultar em vômitos contínuos ou intermitentes de alimentos e/ou de bile.


Fonte: Texto adaptado de "Vomit, Regurge & Gag, Oh my! What's "normal" for a Frenchie? And when to seek help…" (Lori Hunt, DVM - criadora de frenchies, Assisi French Bulldogs)




Na minha experiência com frenchies, percebi que a ansiedade, a euforia e/ou o excesso de entusiasmo são fatores que, também, podem estimular as regurgitações.
Algumas vezes aqui, no auge das brincadeiras nada delicadas, um frenchie ou outro, regurgita uma espuma branca. E, claro, higienicamente, a lambe novamente...

Bricar de luta, depois de comer = regurgitar. Por isso, depois que a galera come, permanece no crate por 1 hora.

Nos dias em que Sara esteve no cio, Tigre foi o rei absoluto das regurgitações. Corria loucamente procurando por ela e quando estava quanse morto de cansaço, regurgitava. Graças a Deus, nosso próximo cio é só ano que vem e a paz voltou a se instalar por aqui.

Essas regurgitações esporádicas e pontuais não me incomodam, porque sei o que as causa. Entretanto, no caso de episódios frequentes de regurgitações, eu não hesitaria em procurar por auxílio veterinário.
Se as regurgitações ocorrem por questões emocionais, acredito que a alopatia tem muitas limitações. A minha opção seria a homeopatia.

É importante que os humanos de estimação dos frenchies lembrem que esses orelhudos são sabidões. Se perceberem que regurgitando chamam atenção, tenderão a regurgitar mais e mais.
Portanto, nunca superestimem os problemas, a não ser que queiram um cão problemático!






Para completar, no Cachorro Verde, há um excelente artigo sobre Alimentação Natural X Vômitos!