domingo, 19 de setembro de 2010

Ville Chamonix - Entrevista

Essa semana, o MY PET BRASIL me entrevistou e a entrevista foi publicada ontem, confiram lá, porque a Helena fez um trabalho muito bacana mesmo!
Muito obrigada pela sua gentileza, Helena!
:-)


A seguir, leia a entrevista, na íntegra:

* * * * * * * * * * * * * * * * *

Estive organizando por uma semana uma surpresa para vocês! E hoje ela foi revelada: O Blog My Pet Brasil tem o orgulho de apresentar uma entrevista exclusiva com Camilli Chamone, criadora da raça Bulldog Francês e do famoso site sobre esta raça. O Ville Chamonix!




Gostaria de dizer, primeiramente, que é um prazer  ter essa entrevista com um grande Canil como o Ville Chamonix! Vamos começar: Você já deu muitas entrevistas?

Olá Helena! O prazer é todo meu em conceder esta entrevista. É a partir de iniciativas, como a sua, que muitas pessoas tem a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre os frenchies e conscientizar-se, em relação à posse, compra e adoção responsável destes orelhudos.
Bem, já dei algumas entrevistas sim. Algumas na TV, em jornais, em TV por internet, mas é a primeira vez que sou entrevistada em uma rede social da internet.



Pesquisei sobre os Frenchies e descobri que eles não latem muito. É verdade? Como ele interage com o dono, crianças, idosos e estranhos?

Frenchies bem socializados e emocionalmente estáveis são cães que quase não latem e se dão bem com a maioria das pessoas. Tendem a criar vínculos afetivos muito fortes com seus humanos de estimação, o que por um lado, pode ser indesejável, se limites não forem impostos – se neurotizados, podem deixar de comer, dormir e brincar longe do dono.
O convívio com crianças é excelente, mas, obviamente depende da criança. Acredito que nenhum cão tolere a convivência com “pequenos monstrinhos”!

Particularmente, não acho interessante o convívio entre frenchies e crianças muito pequenas. Bulldogs franceses adultos são cães troncudos e pesados, podem facilmente derrubar e machucar uma criança de 4 anos, numa brincadeira inocente.
Apesar de possuírem um temperamento muito doce, não recomendaria como cão de companhia para uma pessoa idosa. Eles são muito pesados para uma pessoa na terceira idade. Com visitas, costumam ser curiosos e podem ser festeiros, se forem incentivados.

Embora o padrão do bulldog francês ainda mencione que frenchies podem ser utilizados para a guarda, há muito tempo não são destinados a esta função.


Uma coisa que eu considero importante perguntar é sobre a saúde do cão. Afinal, certas raças precisam de cuidados específicos e tem suas limitações. Os Frenchies possuem um focinho curto, foi comprovado que cães com focinho muito curto (como Pug e Pequinês), tem males respiratórios. Nos Frenchies esses males são maiores, menores ou raros de acontecer? Você acha que o padrão do Frenchie deveria mudar para evitar o focinho curto?

Todas as raças são predispostas a determinados males de saúde e cabe ao criador esclarecer isso.
Obviamente, essa característica cranial limita o cão de ser um exímio atleta, mas não o impede de viver com qualidade de vida.
A síndrome braquicefálica, por exemplo, é uma alteração que compromete a anatomia das vias aéreas superiores do cão e é mais comumente encontrada em cães de focinho curto - você pode ler mais sobre essa síndrome aqui. Entretanto, cabe aos criadores fazer um planejamento de acasalamentos, em sua criação, de maneira que a diminuição de incidência de doenças seja um dos objetivos. Mas, que fique claro que, infelizmente, ainda não é possível controlar e manipular o genoma canino, de forma a garantir que um cão nunca terá problemas de saúde.

Acredito que o padrão do bulldog francês não deva ser mudado.



Algumas raças precisam de cuidados específicos (como bolsa de gelo, aquecedor, ar condicionado, etc.). Qual seriam os cuidados com o Bulldog Francês?

Mmmmmm... (risos)! Quais pobres raças precisam de bolsa de gelo, aquecedor ou ar condicionado para sobreviver?
O calor excessivo é o inimigo número 1 dos frenchies, porque pode desencadear um processo chamado hipertermia – quadro de aumento excessivo da temperatura do corpo, causado pelo calor do ambiente, pode ser fatal. Para quem já tem um frenchie, ou pretende ter, um texto sobre hipertermia é leitura obrigatória!

Por isso, frenchies não devem ser mantidos em locais quentes e pouco ventilados, como interior de um carro fechado, enquanto o seu dono “vai ali rapidinho, comprar alguma coisa”.

Nas épocas de calor absurdo, mantenho os ventiladores de casa ligados (inclusive para me refrescar) e bastante água fresca. Nunca saio de carro com um frenchie, sem ar condicionado, debaixo do sol de meio dia ou se está quente demais – aliás, nenhum cão deveria sair.
Quando está muito calor, para refrescar, meus cães tomam banho de mangueira (só água) – junto com minha família humana!



Nenhum cão deve ser deixado sozinho em casa. Porém alguns sofrem menos com a ausência do dono. O Frenchie entra nesta categoria? Ele costuma ser destrutivo?

Frenchies não são cães que se relacionam bem com a solidão. O requisito básico para ter um frenchie é ter disponibilidade de tempo para fazer-lhe companhia. Na verdade, frenchies precisam de mais companhia que o próprio dono!
Frenchies solitários costumam aliviar o stress e o tédio de maneiras destrutivas e, pior, autodestrutivas.
De acordo com os e-mails de muitos papais e mamães de frenchies, que recebo através do blog, as manifestações mais comuns em frenchies solitários são: compulsão por mastigar (móveis, roupas, sapatos, etc.), urinar e defecar fora do lugar certo, vocalização excessiva, hiperatividade (cães elétricos), agressividade contra o próprio dono, lambedura compulsiva de patas (muitas vezes, chegando a ferir o cão).

É muito comum humanos de estimação de frenchies solitários serem extremamente permissivos com seus cães, em função da culpa por não prover atenção necessária. Muitosdestes bulldogs franceses apresentam distúrbios comportamentais enlouquecedores.



O Bulldog Francês não é o cão ideal para quem quer um parceiro atleta. Quais são as limitações desses cães? Como são de porte pequeno, me pergunto se eles sofrem algum risco como: Subir em móveis altos ou algo do tipo?

Realmente, o bulldog francês não é companhia para quem gosta de se exercitar. Frenchies são bon vivants! Adoram desfrutar de um bom passeio, em companhia agradável, sob a sombra fresca - trabalho pesado, não é com eles! Para quem gosta de cães companheiros, durante a atividade física, quem sabe, os adoráveis galgos?

Em função de sua anatomia – corpo quadradinho e compacto – frenchies são mais predispostos, que outras raças, a apresentarem lesões medulares (situação reversível, na maioria dos casos, se o diagnóstico e a intervenção for precoce). Por isso, sugerem-se alguns cuidados, a fim de evitar micro-lesões na coluna que podem levar a uma lesão maior futuramente. Esses cuidados incluem: evitar pular de alturas consideráveis, usar cinto de segurança no carro, para evitar trancos e choques de freiadas bruscas, etc.



O Frenchie possui várias cores. A minha preferida é o Branco com Tigrado. Você gosta de um cor específica? Qual cor é a mais procurada, e como funciona o procedimento de saber a cor do Frenchie? É aleatória, ou programada (cruzar cães da mesma cor) ?

Para um programa reprodutivo saúde, temperamento e tipicidade são fundamentais, cor não importa. Na minha opinião, quem compra um cão, deveria ter como prioridade estes 03 (três) requisitos também.

As cores solicitadas pelas pessoas são as mais inusitadas possíveis! Já me ligaram pedindo um frenchie branco com um desenho de borboleta nas costas. Querem frenchies azuis, falta pouco para pedirem um cor-de-rosa com bolinhas brancas. É uma triste realidade, nossos adoráveisfrenchies estão sendo tratados como produtos e não como seres vivos na sua integralidade.

Mas, não encaminho meus cães de acordo com a cor e o tamanho que a pessoa quer, como se fosse uma peça de roupa qualquer de boutique. Se eu acreditar que a pessoa é apta a ter um bulldog francês, procuro entender o que ela espera de um frenchie, procuro entender o estilo de vida desta pessoa e tento encontrar um cão meu que melhor se adapte ao estilo de vida desta pessoa. Mesmo dentro da mesma ninhada, os filhotes podem apresentar características de temperamento diferentes e, portanto, algumas necessidades diferentes. Essas necessidades devem ser levadas em conta, para que a convivência com sua nova família seja harmoniosa.



Por que a preferência é proporcionar cães castrados? No meu ponto de vista, prefiro assim, para não haver uma super população de cães sem dono. Você pensa nisso também?

Nós pensamos de maneira semelhante, Helena.
Infelizmente, criadores de cães são – indiretamente – a causa da maior parte dos cães abandonados. Se todos se responsabilizassem que pelos cães que colocam no mundo,trabalhassem com políticas de castração e controle reprodutivo de seus filhotes, nenhum deles estaria nas mãos de fabricantes de filhotes e criadores de fundo de quintal. Isso seria um enorme bem para os cães (a maioria seria bem-nascida e saudável), para a raça (a maioria dos cães nascidos seriam planejados e típicos) e para a sociedade (seria menor o número de cães abandonados).

Alguns cães não conseguem fazer a monta sozinhos. O Frenchie consegue? Como é o processo de gravidez? É preferível cesária ou a fêmea consegue um parto normal sem preocupações?


A monta natural é uma atividade física intensa e expõem o frenchie ao risco de hipertermia .
Para que arriscar se é possível utilizar a inseminação artificial que é um método seguro, tanto para a fêmea, quanto para o macho?
Conheço muitos relatos de frenchies que iniciaram sintomas de hipertermia e chegaram a desmaiar durante a monta.

A gestação é tranquila, mas exige cuidados especiais. Não existe parto normal de fêmeas frenchies sem preocupações.

Nas 02 (duas) vezes que minhas cadelas experimentaram o parto normal (assistidas por veterinário, dentro
da clínica), foi por sugestão do próprio veterinário, porque ele queria tentar o parto normal antes de partir para a cesárea direto.
Na minha primeira experiência, o parto iniciou e só terminou com muita injeção de cálcio e ocitocina para estimular as contrações. A segunda experiência com parto normal, terminou em cesariana.

Parto normal em frenchies? Nunca mais!

Importante lembrar que a seleção natural nunca existiu na criação das raças caninas, sempre foi a mão do homem que a guiou e nunca a “mãe natureza”.



Para encerrar as perguntas! As pessoas dão preferências para machos ou fêmeas? A raça se dá bem com outros animais, sendo cães ou não?

Não existe preferência, pelo menos, dentre as pessoas que entram em contato comigo. De qualquer maneira, mesmo se houvesse, como lhe disse anteriormente, explico aos potenciais proprietários que encaminho meus cães de acordo com o perfil da família e o temperamento do cão, e não de acordo com cor, sexo e outras características físicas.

Ainda é importante lembrar que, meus cães, destinados à companhia, são castrados. Desta maneira, os hormônios sexuais (estrogênio e testosterona) não estarão presentes para determinar as maiores diferenças entre fêmeas e machos.

A convivência entre frenchies machos adultos não castrados é praticamente impossível! A convivência entre 02 (duas) fêmeas adultas – que cresceram juntas - pode ser muito boa, mas, de longe, a fórmula perfeita de comunhão entre estes orelhudos sempre será um macho e uma fêmea.
Podem interagir bem com gatos, mas é prudente serem acostumados com eles desde filhotes.



Gostaria de agradecer por responder as perguntas! O Frenchie é um cão totalmente adorável. Obrigado pela oportunidade de nos aprofundarmos nessa raça. Você gostaria de deixar o e-mail, site, blog e essas coisas para contato?

O prazer é todo meu, Helena! Falar sobre os nossos amados-queridos-adoráveis frenchies é sempre um enormeeeeeeeee prazer. Se esta entrevista puder servir como ferramenta esclarecedora, educativa, informativa, a alegria vai ser maior ainda!!! Frenchies não são cães adequados para todas as pessoas, mas, ainda assim, existem outras raças, existem cães sem raça, existem gatinhos, peixinhos, furões...

Obrigada por me dar a oportunidade de falar (mais) um pouquinho sobre esses cães que eu amo tanto. Para conhecer meu trabalho, meus frenchies e ler um bocado de coisas dedicadas a esses orelhudos, há meu site www.villechamonix e meu blog www.blog.villechamonix.com.


Beijos!



Espero que tenham gostado da entrevista! Pois eu particularmente adorei, sinceramente sempre senti um certo interesse pelos Frenchies, mas nunca me aprofundei muito na raça. Espero que as minhas dúvidas nessa entrevista, seja a de muitos que buscam respostas! E agradeço muitooooo a Camilli (nome lindo) por esta entrevista!