quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Vai acasalar sua cachorrinha?

Então você decide reproduzir sua adorável “feminha”. Você sabe o que esperar se tudo der certo. Sua pequena menina lhe presenteará com um pequeno buquê de alegrias. Ela irá, adoravelmente, nutrí-los com seu precioso leite e cuidará deles até que estejam grandinhos o suficiente para caminharem sozinhos pelo mundo.

Você e sua família terão enorme prazer em testemunhar esses pequenos cães crescerem, então, na época apropriada, encontrarão lares adequados e especiais, que atendam às necessidades de cada um deles ou, talvez, decidirão ficar com um ou dois filhotes!

Mas, e se algo sair errado? Já pensou nisso?

Nesta lista estão listados alguns dos poucos problemas que aconteceram com cães da raça retriever do labrador. Tudo que está listado aconteceu com a autora do texto ou com algum conhecido seu – e não são incidentes isolados. 
Muitos destes  problemas também são passíveis de acontecer com frenchies. 

Aprenda com os erros alheios!

Se durante o acasalamento (opção pela monta natural)

1.      O macho que você escolheu for portador de uma doença sexualmente transmissível e transmitir essa doença para sua fêmea. Além dela não engravidar, você terá que pagar contas veterinárias exorbitantes para tratar sua infecção e, agora, ela está estéril.

2.       O macho que você escolheu para inseminar sua querida não é experiente na prática sexual. Uma vez que eles estão atados no nó sexual, ele decide correr atrás do gato do vizinho que acaba de cair no quintal. Ele puxa seu pênis com tanta força que provoca uma hemorragia na cadela.

3.       Sua cadelinha decide que não quer dar atenção ao macho que você escolheu. Ela foge dele, rosna e, num segundo, dá uma mordida terrível em seu olho esquerdo.

4.       Você deixa sua cadela com o proprietário do macho, porque o acasalamento não está fácil. De fato, já fazem 3 horas e nada ainda! O proprietário do macho deixa os cães sozinhos no quintal, eles encontram uma fenda no portão, fogem e um caminhão atropela a sua fêmea.

5.       Você paga pela cobertura do macho e ainda deve um filhote ao proprietário do macho. Após 2 meses, você descobre que sua cadela não está grávida – agora você tem que esperar o próximo cio. Em frenchies? Aproximadamente, 8 meses. Claro que se não der certo, novamente, espere mais tempo ou perca o valor que pagou.

6.       Ela foi acasalada. Você a leva para casa. Ela fica no quintal, embora esteja no cio e receptiva aos machos. Você ouve barulhos “lá fora” e quando vai ver,  a encontra cruzando com um vira-lata qualquer que entrou pela grade. Quando a ninhada nasce, todos os filhotes precisam ter seu DNA testado.

7.       Ela foi acasalada. Você a leva para casa e permite que ela fique no quintal, mesmo sabendo que está receptiva a outros machos e que o quintal não é tão seguro. Você não vê nenhum cão acasalando com ela, mas os filhotes nascem muito estranhos. Você liga para o proprietário do macho e ele sugere um teste de DNA, às suas custas. Você tem uma ninhada de vira-latas! O que fazer com os filhotes que já estão vendidos?

8.       Sua cadela foi acasalada e você a viu cruzando com o cão do vizinho. Você decide interromper a gestação e ser mais cauteloso da próxima vez. Mas, semanas depois, sua cadela está doente, em função da massiva dose hormonal que tomou, causando infecção uterina. Agora ela tem piometra e precisa remover o útero. Todos os planos de ter filhotinhos se foram e sua cadela corre risco de vida se não for operada.


Se durante o parto (opção pelo parto normal)

1.       Os  filhote forem  muito grandes para a fêmea, ela não entra em de parto, os filhotes morrem e ela se infecta pelos corpos em decomposição.

2.       O primeiro filhote é grande demais. Quando ele começa a vir, sua cadelinha começa a gritar e, antes que você possa ajudar, ela o pega entre os dentes, puxa-o pela cabeça, decepando-o, instantaneamente.

3.       Um filhote emperra no canal do parto. São 3:00 am do dia de Natal e você precisa procurar por um veterinário que faça um cesariana de emergência.

4.       Um filhote morto emperra no canal do parto. A mãe faz tanta força para parí-lo que acaba por provocar uma ruptura uterina. Ela sangra até a morte enquanto você dirige loucamente no caminho para uma clínica veterinária.

5.       Um filhote está demorando a nascer e você descobre que ele morreu afogado dentro da própria bolsa de líquido amniótico.

6.       Um filhote está nascendo em apresentação pélvica (de bumbum) e a bolsa que o protege estourou – o parto está seco.  Ele fica preso.  A mãe tenta ajudá-lo, puxando pelos dentes, através de suas patas traseiras.  A cabeça e os ombros estão firmemente travados. A mãe puxa  tanto a perna que a arranca do corpo do filhote.
 

E se logo depois do parto


1.       A cadela não tiver a menor idéia do que fazer com os filhotes, deixando-os “para lá” e não sendo afetada pelo instinto materno.

2.       A mãe rejeitar os filhotes.

3.       A mãe se entusiasmar demais removendo a placenta e o cordão umbilical, que acaba produzindo um enorme buraco na barriga dos filhotes e um sangramento enorme.

4.       A mãe se entusiasma tanto removendo a placenta e o cordão umbilical, que acaba engolindo os filhotes menorzinhos.

5.       Ela se torna agressiva, inclusive com as pessoas da casa, não permitindo que ninguém se aproxime dela e dos filhotes, entretanto, ela também, se recusa a cuidar deles.

6.       Você percebe algo diferente em sua vagina. Chama o vet e ele diagnostica como prolapso de útero. Ela precisa ser operada para remover o útero.

E quando você pensa que está tudo bem


1.       Vocês descobre que um ou mais filhotes aspiraram secreção durante o parto e estão com pneumonia – a morte pode acontecer dentro das próximas 36 horas.

2.       O leite da mãe está contaminado. Você perde 2 ou 3 filhotes antes de descobrir o que está errado. Você acaba por alimentar o restante da ninhada com mamadeiras a cada 2 horas – dia e noite.  Depois de 3 dias, os outros filhotes morrem pela mesma infecção.

3.        Os filhotes desenvolvem a síndrome do esmorecimento (fading puppy syndrome) e você logo perde 2 deles. Dia e noite, você passa a alimentar o restante da ninhada com mamadeira e sonda. Apesar dos seus enormes esforços, o restante da ninhada morre em suas mãos.

4.       Sua fêmea desenvolve mastite e a pele de suas tetas rompe, de sair muito sangue.

5.       Sua fêmea desenvolve infecção uterina em função de restos placentários retidos.  Ela está com uma febre altíssima. Você corre com ela para o veterinário, ela está muito doente e é necessário remover seu útero urgentemente para conter a infecção. Ela é operada e você paga uma fortuna pelo atendimento e cirurgia de emergência.  O leite infectado matou os filhotes e a cadela não resiste dias depois.

6.       Os filhotes estão bem, entretanto, em função das alterações hormonais, a cadela desenvolve uma enorme agressividade. Qualquer hora que qualquer pessoa tentar tocá-la, ou a seus filhotes, ela ataca.

7.       Mãe e filhotes parecem bem, os filhotes estão com 4 semanas e são muito fofos. Entretanto, um dia, um filhote desaparece. Você procura por todo lugar, mas não o encontra. Alguns dias depois, outro filhote desaparece. E outro.  Você não consegue descobrir como os filhotes estão desaparecendo do x-pen super seguro. Finalmente, há apenas um único filhote sobrando. Na manhã seguinte, você encontra mãe comendo os restos do último filhote assassinado.

E  se as novas casas não forem tão legais


1.       Você dá um filhote para seu amigo. A cerca da casa dele é baixa e pouco segura. Enquanto ele vai trabalhar, um cão de rua entra e mata seu filhote. Seu amigo te liga para contar o destino que o pobre cachorrinho teve e pergunta se você tem outro filhote.

2.       Você vendeu seu filhote a um conhecido. Na próxima vez que você o encontra, você pergunta sobre o cãozinho e ele responde que o filhote estragou o tapete, por isso foi deixado na fazenda.

3.   Você vende o filhote para um casal de amigos (por um bom preço e forma de pagamento). Eles fazem algumas parcelas dos pagamentos e decidem se mudar para um apartamento. Pedem-lhe para devolver o cãozinho e não querem mais pagar por ele.  O cão que retornou é extremamente tímido e mal educado, sem nenhum princípio de socialização -  você terá um ano de trabalho, para proporcionar-lhe socialização adequada, antes de poder recolocá-lo em outro lar.

4.   Você vende um filhote para pessoas maravilhosas. Eles o amam como um membro da família. Em um check-up,  feito pelo veterinário deles, é determinado que o cão tem um sopro no coração - seu vet não encontrou nada, quando examinou o cão, na ocasião da venda. Eles amam o cachorro e querem o melhor para ele, farão uma cirurgia caríssima. Eles vão processá-lo se você não pagar as despesas médicas e vão ganhar, porque isso está estipulado no contrato.

5.   Você dá um filhote para sua mãe. Ela está muito emocionada. Dois anos mais tarde, o cão começa a desenvolver problemas estranhos e está sofrendo muito. Centenas e centenas de dólares e, finalmente, descobre-se que o cão está sofrendo de uma doença terminal, que foi herdada. Possivelmente, a partir de sua fêmea, uma vez que você não conhece a história da linha de sangue dela.

6.   Pessoas excelentes, a quem você vendeu um filhote, decidem que seu cãozinho é intratável, destrutivo, querem devolvê-lo e receber o dinheiro de volta.

7.   Uma das pessoas que você vendeu um filhote, entra em contato com você, porque o filhote que você vendeu possui uma doença degenerativa gravíssima  e querem saber como você vai resolver isso. Sua fêmea está castrada, a solução é outra restituição.
 

 E sobre a venda

1.       Você anuncia no jornal local, pelo preço usual, e apenas 2 pessoas entram em contato, mas nenhuma venda acontece. Você reduziu o preço à metade, aumentou a publicidade para 03 (três) outros jornais e vai pagar semanalmente, um bom dinheiro, pelos anúncios até que os filhotes sejam vendidos.

2.       Mais pessoas entram em contato e lhe perguntam sobre os testes de saúde feitos antes do acasalamento. Você responde que sua cadela é saudável e que ela tem pedigree. As pessoas agradecem educadamente e desligam o telefone.

3.       Os filhotes estão com 4 meses, comem muito e latem sem parar. Os vizinhos, incomodados, não fazem cerimônia em chamar a polícia por causa do barulho.

4.       Seus vizinhos resolvem chamar a Sociedade Protetora dos Animais para inspecionar as condições onde vivem os animais. Você “passa” pela inspeção, mas se sente incomodado e chateado.

5.       Você, finalmente, decide dar o resto da ninhada, mas ainda tem eu pagar as contas do veterinário e as contas da publicidade no jornal.


E, então, pergunte-se: Foi legal brincar de ser criador?