sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Vai acasalar sua buldoguinha?

O texto escrito no dia 20 de outubro, "Vai acasalar sua cachorrinha?" é a tradução do artigo "So do you want to be a breeder - breeding the female".

O texto de hoje será uma versão do texto "Vai acasalar sua cachorrinha?", de minha própria autoria, baseado em fatos que aconteceram comigo, com criadores amigos próximos e relatos de pessoas (proprietários que resolvem acasalar suas cadelas) que me escrevem desesperadamente, diariamente.

Portanto, se você deseja acasalar sua adorável e amada buldoguinha, esteja preparado(a) porque com uma frequência bastante significativa incidentes podem acontecer:


Se durante o acasalamento

Nota importante: Nem eu, nem nenhum criador do meu círculo de contatos promove a monta natural, portanto, o "acasalamento", para nossos cães é relativamente seguro. E o veterinário fica bastante feliz em receber, pelo menos, seus R$ 400,00 pelas dosagens de progesterona e inseminações artificiais feitas.

O macho e a sua buldoguinha são colocados no mesmo canil durante a noite e, na manhã seguinte, sua adorável menina amanhece morta - provavelmente porque não cedeu ao coito e deixou o macho #tenso.

O macho desmaia durante a monta natural (hipertermia), a sua buldoguinha assusta, tenta se desprender do macho à força e dilacera toda a sua vagina.

O macho já está atado à sua buldoguinha, durante o coito, quando tenta virar, luxa o joelho e no momento de dor insuportável, tenta se desprender da fêmea. Acaba por fraturar o osso do pênis e dilacerar a vagina da sua buldoguinha.

Você insemina sua buldoguinha com o campeão do momento. Chega em casa, ela escapole e cruza com seu outro frenchie. A ninhada nasce, só lhe resta testar geneticamente toda a ninhada para saber quem é filho de quem.

Depois que sua fêmea foi acasalada com o macho, você descobre que ele tem leishmaniose em um estado bastante avançado e essa doença pode ser transmitida pelo sêmen contaminado.


Se durante a gestação

A sua buldoguinha fica doente e você descobre que ela tem leishmaniose. Você precisa dar satisfações ao dono do macho. E, agora, o que fazer com os filhotes? Ah, você tem que pagar a cobertura do macho.

A sua buldoguinha começa a ficar cronicamente doente, perde os filhotes e, você, ainda tem que pagar a cobertura do macho.

A sua buldoguinha fica chata para comer, extremamente seletiva, come tão pouco que isso pode afetar no desenvolvimento dos filhotes.


Se durante o parto

Esta chegando o feriado. Seu vet jura que os filhotes vão nascer depois que ele chegar de viagem e que você pode ficar tranquilo(a). Mas, a cadela entra em trabalho de parto no feriado.
Aqui em casa, uma ninhada nasceu no dia 7 de setembro e a outra no dia de Natal. Todos os vets da minha confiança estavam viajando.

Seu vet de confiança está viajando e você está na mão. Um veterinário desconhecido faz a cesariana da sua cadela e por conta da inexperiência dele, você perde os filhotes e quase perde sua cadela.

O veterinário insiste em tentar o parto normal, apesar de você dizer que frenchies sofrem de atonia uterina e que a raça tem dificuldades no parto. Um filhote emperra no canal do parto, morre e a sua buldoguinha tem que ir para a cesariana de emergência, para que os outros filhotes sejam salvos.

Você insiste em vivenciar o milagre da vida através do parto normal. A sua buldoguinha não dá sinal de entrar em trabalho de parto. Quando você decide fazer o ultrassom, já é tarde demais, todos os filhotes já estão mortos. A sua buldoguinha com sinais de sepse, é operada às pressas, mas não resiste e morre.

Você insiste com o parto normal. Os filhotes nascem. Poucos dias depois, a sua buldoguinha começa a ficar indisposta, os filhotes nascidos começam a morrer. Você procura a causa no veterinário e descobre que um filhote ficou retido no útero.  A sua buldoguinha deve ser operada às pressas para remover o útero que está infeccionando todo o corpo. Todos os filhotes morrem, porque mamaram o leite contaminado. A sua buldoguinha escapa por pouco.

O veterinário, pouco acostumado com a raça, faz um procedimento anestésico equivocado e sua buldoguinha morre durante o parto.


E se logo depois do parto

Os pontos da cesariana se rompem, porque a sua buldoguinha é muito agitada. Agora você sabe como o intestino é comprido e pode facilmente encostar no chão!

A sua buldoguinha não quer ficar com os filhotes, quer só você!

A sua buldoguinha rosna para os filhotes.

A sua buldoguinha se recusa a amamentar os filhotes.

A sua buldoguinha se recusa a estimular os filhotes a fazer xixi e cocô. Eles sentem dor de barriga e você não consegue estimulá-los adequadamente.  (isso é muito mais comum do que se imagina)

A sua buldoguinha lambe tanto os filhotes que acaba por romper o cordão umbilical deles e provocar hérnia umbilical neles.

Algum filhote não ganha peso e, nem você, nem o vet, sabem porque o filhote só definha a olhos vistos. 

A sua buldoguinha para de comer e diminui drasticamente a produção de leite.

A sua empregada doméstica ou qualquer outra pessoa que prometeu lhe ajudar não pode cumprir com o prometido e você precisa se afastar do trabalho para cuidar da ninhada. Lembre-se que buldogues franceses recém-nascidos precisam de atenção 24h por dia durante, pelo menos, 3 semanas.

O filhote menor é muito fraquinho e você precisa ficar dia-e-noite vigiando-o, estimulando-o a mamar, direcionando-o até que ele fique mais espertinho e ganhe peso. Ele não consegue fazer isso sozinho e vai morrer sem seus cuidados.


E quando você pensa que está tudo bem

Você descobre que há filhotes com pneumonia por aspiração (quadro comum em bebês frenchies)

Você descobre que há filhotes deficientes.

Você começa a ter problemas de registro dos filhotes com o proprietário(a) do macho e descobre que ele(a) não é uma pessoa tão honesta quanto parecia.

A sua buldoguinha é uma mãe desajeitada, deita em cima dos filhotes e mata um por sufocamento, mesmo depois que eles já estão maiorzinhos.

Um dos filhotes engasga com a ração e morre. Este era exatamente aquele filhote que o(a) proprietário(a) do frenchie macho havia escolhido como pagamento da cobertura e era a única fêmea da ninhada.

Você perdeu a ninhada quase toda por pneumonia e o filhote que sobrevive é aquele que  será o "pagamento da cobertura do macho".



E quando você decide encaminhar os filhotes


Nesta parte do texto, em vez de apresentar a problemática a aqueles que decidem acasalar suas buldoguinhas, prefiro deixar as perguntas.

Quando o pretenso comprador entrar em contato e perguntar sobre testes de saúde dos pais dos filhotes, qual será a resposta?

Quando o pretenso comprador entrar em contato e perguntar se os pais do filhotes são "campeões" em exposições cinófilas, qual será a resposta?

Se o pretenso comprador quiser ir conhecer os filhotes, qual será a resposta? (não se esqueça do assalto no Canil Real Fellow)

Qual será o seu cuidado para certificar-se que os filhotes estarão indo para lares decentes e não para pessoas que deixarão seus cães trancafiados em canis, no quintal, sem contato com suas família? Afinal, você não resolveu acasalar sua adorável buldoguinha para que seus filhotes pudessem sofrer, certo?

E os filhotes deficientes e/ou portadores de doenças genéticas que nascerem? Você vai ficar com eles até que a morte os separe?

E se você não conseguir vender os filhotes? Esse cenário é muito comum... diariamente recebo pedidos assim: "Por favor, me ajude a vender meus filhotes de buldogue francês. Estão encalhados!". Se você estiver lendo este texto, peço-lhe a gentileza de não me pedir isso, pois minha resposta será não.

Sabe aquele papo "Posso ir aí conhecer os filhotes e depois me decidir?" - Recentemente, a ninhada de um criador, que permitia que seus filhotes fossem visitados por estranhos, foi totalmente dizimada pela parvovirose. Provavelmente, algum estranho trouxe o vírus consigo.



Se depois de vender os filhotes

Você descobre que aquele comprador simpático é um fabricante de filhotes que mantém seus cães enjaulados e reproduzindo.

O comprador entra em contato com você porque seu cão apresenta uma grave doença genética incurável. Ele vai te processar caso você não arque com todas as despesas médicas envolvidas no tratamento do cão.



Você está preparado(a) para assumir todos estes riscos?


---------------------------------------------------
MORRO E NÃO VEJO TUDO!!!

Procurando uma foto para ilustrar este post, encontrei este link: http://www.flickr.com/photos/renata_motta/2668389872/ 


(os grifos no texto são meus)

(...) a Suzu engravidou com 5 anos, mais ou menos.
O parto foi tranquilo, eu e a minha irmã que fizemos, aqui em casa. Teve um contratempo: um dos filhotinhos (a Lolla, que está no meu photostream) nasceu 5 horas depois do último filhotinho: a gente achou que nem tivesse mais filhote para nascer.
Ah, e ela teve que tirar o útero depois, porque a febre não baixava. Mas foi uma operação muito tranquila. 
Nasceram 6 filhotinhos mas só 4 sobreviveram: uma era bem fraquinha (e nasceu amarelinha, acho que já estava malzinha) e outro nasceu com lábio leporino (coisa que eu nunca tinha visto em cachorro). Foi triste mas os quatro "sobreviventes" são perfeitos e saudáveis! :)
Obrigada pela visita e pelos comentários. Acho que você deveria colocá-la para cruzar pelo menos uma vez. É trabalhoso, mas vale a pena!


Estou indignadíssima com a proprietária achar "lindo" e recomendar o acasalamento, depois dos "contratempos" que colocaram a frenchie (fora do padrão) em risco de perder a vida e geraram filhotes que certamente transmitirão o lábio leporino às suas gerações seguintes. Será que podemos dizer que a ignorância é uma benção?


Quer vivenciar o MILAGRE DA VIDA?