segunda-feira, 20 de junho de 2011

03 anos de Frenchies Verdes



Quem acompanha o blog desde os primórdios da sua criação, sabe o quanto sou fã da alimentação natural (crua) para frenchies - e todos os outros cães. Frenchies beneficiam-se demais com a dieta caseira balanceada.

Quando a dieta do Cachorro Verde me foi apresentada, o questionamento foi: "Mas, como assim? Dieta com baixíssimo nível de carboidratos? Meu Deus! Carboidratos (provenientes dos grãos) são os nutrientes que oferecem energia para as células. Uma dieta pobre em carboidratos vai alterar todo o metabolismo do cão!"





Bem... mesmo assim, resolvi experimentar. Afinal, além do ainda tímido blog pessoal que a Sylvia Angélico tinha que falava sobre a dieta, havia incontáveis sites (todos em língua estrangeira) na internet que defendiam a raw food com bastante propriedade:

E, assustadoramente, o site da Dog Food Analysis descontruía o meu entendimento sobre as rações disponíveis no mercado nacional.

A primeira cobaia da alimentação natural aqui em casa foi o Tigre
Vê-lo lidar com um meaty bone pela primeira vez foi hilário e... angustiante. Ele simplesmente não sabia o que fazer com aquele suculento pedaço de carne, acompanhando de bastante osso. Lambia, mordia, cuspia, mas nada de mastigar com vontade. Efeitos esperados de quem passou os primeiros 04 (quatro) anos de sua vida engolindo grãos de ração sem precisar mastigar.

Todos passaram por este processo de adaptação dos adormecidos músculos da mastigação!  Em pouco tempo, as boquinhas frenchianas tornaram-se possantes maquininhas mastigatórias.

Claro que quando iniciei a alimentação natural por aqui era tudo muito diferente do que é hoje. A razão principal disso é que minha diva-suprema-absoluta-e-necessária da alimentação natural para pets - obviamente, Sylvia Angélico - também estava começando seus estudos no assunto.

Cometi imperdoáveis inúmeras gafes e graças a Deus, Ele estava lá protegendo meus frenchies.
Não sabia que as carnes precisavam ser congeladas por 03 (três) dias para eliminar possíveis vermes - claro que comprei muita carne fresca no açougue e entornei no pote! Obrigada por nos proteger, Senhor.
Ofereci muita coxa de frango tranquilamente, nem imaginava que a anatomia braquicefálica fosse um limitante para a ingesta de meaty bones. Obrigada por nos proteger, Senhor.
Certa vez ganhei um pescado enorme e não tive a menor dúvida: fatiei e coloquei cru mesmo nos comedouros dos frenchies. Milagrosamente, os frenchies separaram as enormes espinhas dos peixe e reservaram no comedouro. Muito, muito obrigada por nos proteger, Senhor. Desta vez reconheço que Seu empenho foi supremo.
E com relação à quantidade? Pobres frenchies... emagreceram um bocado até eu descobrir que frenchies precisam comer um pouco mais que as demais raças, porque tem musculatura exuberante de consumo calórico alto. Obrigada por nos proteger, Senhor.
Batatas cruas? Ui... os frenchies comeram bastante. Obrigada por nos proteger, Senhor.

Mas, apesar destes percalços iniciais, valeu a pena, os benefícios estavam lá, sempre gritantes e imediatos!
Inclusive, não tardou para eu descobrir onde adquirir as carnes a preços super acessíveis.

Felizmente, o maior de todos os benefícios da dieta persiste até hoje e sem dúvida é O PRAZER QUE OS CÃES TEM DE COMER! Quem alimenta cães com ração sabe os malabarismos para fazer um cão se alimentar. Ver meus pequenos ansiosíssimos enquanto preparamos a comida deles, vê-los (literalmente) lambendo o fundo da tigela para não deixar sobrar nada é uma satisfação enorme.

Todos os outros incríveis benefícios imediatos estão relatados no post Resultados. Não deixe de ler!

Os benefícios eram tantos e tão grandes que resolvi experimentar a dieta no desmame dos filhotes também.


Filhote sendo desmamado com alimentação natural (carne moída crua)/2008.
Este filhote é o Tank!



Surpresas na alimentação natural para filhotes? Só positivas! Sempre! Confira em Alimentação Natural em Filhotes, Nosso Relato e A Prova dos 45 Dias.


Ninhada nascida em 07/09/2009 fazendo seu primeiro papá natural


Ao longo destes 03 (três) anos de Cachorro Verde aqui em casa um benefício marcante ficou evidente: OS CÃES NÃO ADOECEM MAIS.
Diarreías inexistem.
Problemas de pele inexistem.
Otites por malassezia são raríssimas - neste último ano, a Bella e a Sara tiveram 01 (uma) vez -, bacterianas nunca mais aconteceram. (nunca tive otites provocadas por ácaros aqui)

Por isso, quando me perguntam, ALIMENTAÇÃO NATURAL DÁ TRABALHO?
A minha resposta é sempre: NÃO!

Trabalho é ter que fazer malabarismos para um cão comer.
Trabalho é aguentar os puns fedidíssimos 24h por dia e cocôs fedorentíssimos dos frenchies.
Trabalho é ter cão doente em casa, é ter que sair às pressas para ir ao veterinário.
Trabalho é a preocupação de sair para trabalhar deixando o cão doente em casa. Quem ficará com ele cuidará bem? 
Comprar algumas carnes e vegetais, picar e colocar na vasilha diariamente não dá trabalho algum quando - a curto-médio-longo prazo - observa-se os benefícos de uma dieta melhor.


O que mudou desde o advento do Cachorro Verde? Tudo mudou! Para melhor!
Você não mudou ainda? Sinta-se convidado e volte para nos contar as revoluções que essa dieta provocou na vida de seu pet.