quarta-feira, 15 de junho de 2011

Leishmaniose está em expansão em Minas Gerais

Este foi o boletiim publicado pela Assembléia Legislativa de Minas Gerais.
A eutanasia de cães soropositivos está funcionando como medida efetiva de controle de avanço da leishmaniose canina?
Senhores Políticos, peço-lhes respeitosamente que respondam esta pergunta em alto e bom tom.

Obrigada!

Camilli







Ações municipais - O secretário-adjunto de Saúde de Belo Horizonte, Fabiano Pimenta, afirmou que 60% das pessoas que morrem por leishmaniose visceral têm outras doenças como complicadores, como o HIV e a tuberculose. Ele salientou a castração gratuita, as campanhas para guarda responsável e as feiras de adoção como ações da Prefeitura municipal para aumentar a proteção de cães. Atualmente, há cerca de 28 mil animais vivendo nas ruas da Capital. Além disso, cerca de 360 profissionais estão envolvidos em aplicações de inseticidas e eutanásia de animais contaminados, conforme diretrizes do Ministério da Saúde. Para o secretário-adjunto, os agentes de saúde também devem ser capacitados para identificar e tratar os sintomas nos seres humanos no início da doença e a população, conscientizada sobre os cuidados com os animais e o descarte correto de resíduos, já que o inseto transmissor se desenvolve em matéria orgânica.