terça-feira, 22 de novembro de 2011

Um mundo melhor

PATRÍCIO DUGNANI


Eu queria lhe dar um mundo melhor, filho. Para isso acordei cedo. E não reclamei disso, pelo contrário, elogiei o sol, nos dias de sol, e elogiei a chuva, nos dias de chuva.

Comi coisas saudáveis, para viver mais e vê-lo crescer.

Passei a fazer ginástica para poder brincar com você.

Passei a cuidar dos jardins, para que você pudesse brincar neles.

Plantei árvores, para que você pudesse comer seus frutos, deitar sem sua sombra e descansar. Plantei, principalmente, jabuticabas, pois a perfeição só pode ser conhecida após chupar jabuiticabas no pé e, meu filho, quero muito que você conheça a perfeição.

Além disso, escrevi vários livros com histórias maravilhosas para embalar os seus sonhos.

Não sujei a rua.

Sorri e cumprimentei todos que por mim passaram, para que todos tratassem você bem.

Não desperdicei água, nem joguei comida fora, para que seu futuro possa ser de muita fartura.

Fiz tudo da maneira mais sincera, para que não fosse preciso mais mentir.

Fiz tudo com amor, para que você, amanhã, possa colher somente amor.

Depois disso fui dormir. E ao acordar no outro dia, disse a todos que o mundo estava melhor.

Alguns ainda me responderam que o mundo não tinha mudado e que eu era um louco por acreditar nisso.

- Se não mudou - eu respondi - a minha parte eu fiz. Essa é a única herança que posso dar a meu filho.