domingo, 21 de junho de 2015

Evoluindo

Juro que tentei construir uma linha do tempo detalhada sobre o que vou escrever, mas ela começou a ficar grande demais. Então, peço a colaboração da imaginação dos leitores!

- Há 515 anos, o Brasil foi encontrado pelos Portugueses;
- Há 2000 anos, existia o Império Romano;
- Há 10.000 anos, o homem abandonou o estilo de vida nômade, deu-se o início da agricultura. As primeiras raças de cães começaram a aparecer; (período marcado na linha do tempo abaixo)
- Há 30.000 anos, os cães selvagens começaram a ser domesticados;
- Há 135.000 anos, surgiram os cães selvagens sobre a face da Terra;
- Há 195.000 anos, surgiu o Homo sapiens (nós!);
- Há 300.000 anos, o lobo cinzento - parente mais próximo do cão selvagem - passeava por aqui;
- Milhões de anos antes, os ancestrais do homem e do lobo cinzento lutavam pela sobrevivência de cada dia.


O fim do nomadismo corresponde a menos de 0,5% da evolução do homem. Isso significa que nossos 10 mil anos de agricultura são um fenômeno extremamente recente do ponto de vista evolutivo.

Por que estou dizendo isso?
Já que os cães acompanhavam os homens, provavelmente, é a partir do início da agricultura que os grãos e leguminosas (arroz, feijão, aveia) foram adicionados à sua dieta. Sem plantar, era preciso comer o que o dia oferecesse. Certamente, a maioria dos lugares era suplementada com presas (pequenos animais) e, para as horas de desespero, uma minhoquinha aqui, um inseto acolá.

A dieta com a qual os ancestrais dos cães evoluíram moldou seus genes e fez com que eles sejam quem eles são hoje. Portanto, estes animais estão biologicamente adaptados à dieta com a qual evoluíram.

Os ancestrais do lobo cinzento evoluíram como carnívoros. O lobo cinzento evoluiu como carnívoro. O cão selvagem evoluiu como carnívoro. Milhões de anos neste processo. Em 0,5% desse período o cão conheceu os grãos - há 10.000 anos.  Em 0,0025%  desse período, o cão conheceu a ração industrializada que é composta de, no mínimo, 50% de grãos e, no máximo, 25% de proteínas de baixa qualidade (farinha de vísceras de aves, farinha de proteína isolada de suíno... isso não é carne!) - além de conservantes, corantes, aromatizantes, espessantes, acidulantes...

Se resolvermos alimentar um coelhinho com carne ou um tigre com alface, o que será que vai acontecer?

Cheguem às suas próprias conclusões!