quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Sarna demodécica e os dogmas de nossa existência

Na história da humanidade, em todas as áreas, existiram e existem mitos. Mitos que eram (e são) praticamente dogmas de fé!
Duvida? Vamos lá...


  • a Terra é plana
  • o sol gira em torno da Terra
  • o átomo é indivisível
  • pensar atrofia o útero da mulher
  • comer manga e tomar leite, ao mesmo tempo, faz mal
  • comer ovos aumenta o colesterol
  • espinafre é o alimento mais rico em ferro
  • cesariana é o tipo de parto mais seguro
  • ração industrializada para cães é um alimento nutricionalmente completo
  • vacinas para cães, contra doenças viróticas, devem ser reaplicadas anualmente


Adicione outros aí nessa lista e nos conte!

O dogma mais recente é o do zika vírus.
Por favor, não me matem com o que direi (leiam o texto inteiro primeiro): associar o zika vírus à microcefalia e à síndrome de Guillain Barré é apenas especulativo.
Afirmo isso categoricamente porque não existe um único ensaio clínico controlado e randomizado comprovando relação de causa e efeito entre o vírus e os problemas relatados. E somente através de estudos científicos de altíssimo nível de evidência é que se pode fazer qualquer afirmação em ciências médicas.
Obviamente, o fato de não existirem publicações não exclui a possibilidade do evento, mas, por enquanto, deve ficar claro que as afirmações são apenas suposições.

Na medicina veterinária há um dogma defendido a unhas e dentes por muitos médicos veterinários - e alguns se recusam veementemente a repensar no assunto. A crença é a seguinte: "sarna demodécica é doença genética".
Sobre esse assunto, também afirmo categoricamente que quem diz que "sarna demodécica é doença genética" está apenas repetindo uma bobagem que outra pessoa disse - ou seja, ainda não teve a curiosidade de revirar a literatura científica sobre o tema.

Como sabem todos os pesquisadores - e repito aqui -, só é possível determinar causa-efeito através de ensaios clínicos randomizados (um tipo de pesquisa científica de alto nível de evidência). Mas, "curiosamente", não existe um único estudo desse tipo que comprove que a sarna demodécica seja doença genética. Alguns estudos sobre esse tema apenas sugerem a ligação entre genética e sarna demodécica, entretanto não conseguiram comprovar causa e efeito.

Recentemente, a respeitada revista Veterinary Dermatology publicou um artigo de revisão (nível de evidência científica considerável) sustentando a seguinte afirmativa: não existem evidências científicas que comprovem que a sarna demodécica é doença genética. Curiosamente, eu já havia feito um questionamento em 2010, sobre esse tema, porque essa doença não tem nenhuma característica de doença genética.

Portanto, em todos os assuntos científicos, NÃO IMPORTA QUEM FALA! Se a afirmação não vem acompanhada de um ensaio clínico randomizado, não merece confiança. Se, por outro lado, vier respaldada por evidências de alto nível, NÃO IMPORTAM as credenciais de quem a afirma.
Aliás, a falácia da autoridade é a mais infantil das falácias. Dizer que "Dr. Fulano disse isso e eu acredito" é o equivalente da criança que diz "é verdade, afinal meu pai disse assim".





Receba os posts por email:

Delivered by FeedBurner

siga-nos: