terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Carta para Papai e Mamãe

Papai e Mamãe,

eu entendo que vocês precisam trabalhar para ganhar dinheiro. Mas eu também gostaria que vocês me entendessem...
Fico em casa, sozinho o dia inteiro e isso é muito chato. Sinto-me entediado porque não tenho coisas interessantes para fazer, não tenho com quem brincar e tenho muita energia dentro de mim. O que eu faço com essa energia, mamãe? O que eu faço com essa energia, papai?
É por isso que sinto necessidade de mastigar o braço do sofá, roer o pé da mesa e brincar com meu cocô - isso me distrai. E, quando vocês chegam em casa, fico eufórico demais! Quero correr, pular, fazer bagunça! Sonho com o momento de irmos passear... mas, nem sempre vocês podem, né?  

(...)  

@frenchies.1


Várias vezes me senti irritada com um frenchie por causa das suas peraltices domésticas. Chegar em casa e encontrar o jornal do xixi todo revirado, as roupas do varal arrancadas, mastigadas e espalhadas pelo chão, os móveis roídos não é fácil. Mas a verdade é que era EU a pessoa que estava falhando, não era o cão. Depois que passei a entender o problema, sob o olhar do meu buldoguito, ficou tão fácil resolvê-lo...!

Já falamos que os cães possuem 04 (quatro) necessidades básicas e a maioria dos seus problemas decorre da falta de atenção a eles:
  • alimentação saudável
  • atividade física diária
  • estimulação mental
  • socialização

(Sobre alimentação saudável, sugerimos a leitura da série Minha Experiência com Alimentação Natural. Sobre atividade física, estimulação mental e socialização, sugerimos a leitura do post Enriquecimento Ambiental.)

Quando o cão começa a se sentir confinado, sem possibilidades de gastar sua energia e, principalmente, quando passa muito tempo sozinho, problemas como excesso de choro, estresse, ansiedade, depressão e comportamentos compulsivos começam a aparecer. Por isso, o investimento na saúde emocional do cão é tão importante!

Entretanto, se você não têm tempo disponível para passear com seu cão, estimulá-lo mentalmente e socializá-lo, nós recomendamos fortemente que você matricule seu filho canino em uma "creche-escola". Sim, isso mesmo! A creche é um lugar onde seu buldogue francês irá durante a semana para gastar a energia física e mental acumuladas, e para se relacionar com outros cães.

Nas boas creches, nossos orelhudos passam por um período de avaliação e adaptação, convivem soltos com outros cães saudáveis e são guiados, por profissionais competentes, a desenvolver habilidades sociais. Tenho observado que cães que frequentam creches são mais alegres, mais dispostos e apresentam menos problemas de saúde.

Estou estudando as creches para cães que existem no Brasil e a dica de hoje é a Cãominhando, na cidade de São Paulo.

A Cãominhando, dirigida por médicos veterinários experientes em comportamento animal,  funciona como creche e hotelzinho. Conheço pessoalmente uma de suas proprietárias - a encantadora Dra. Vanessa! (veja-a neste post, de 2011, quando eu já recomendava a Cãominhando)

Essa creche para cães proporciona atividade física, amplo espaço gramado, sociabilidade de cães (filhotes e adultos), disciplina, natação, sossego e a execução prática continuada de prevenção e correção de desvios comportamentais. Além de tudo isso, oferece "transporte escolar" para os cães que residem na zona oeste de SP (exemplo: Butantã, Pinheiros, Vila Madalena, Morumbi), Cotia e Embu das Artes.

O trabalho deles é realmente exemplar, assistam ao vídeo e vejam quantos frenchies lindos estão na Cãominhando!!! 




Receba os posts por email:

Delivered by FeedBurner

siga-nos: