terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Coleiras retráteis

Li um texto na fanpage de Rodney Habib - Pet Nutrition Blogger que me fez refletir sobre um assunto que, até então, eu nunca havia pensado: as coleiras retráteis. 

Rodney Habib afirma que a coleira retrátil é um acessório altamente controverso e tem ótimas justificativas embasando seu discurso.

O primeiro deles é que as coleiras retráteis não foram projetadas para passeios!
 "As coleiras retráteis têm um propósito muito específico. Elas foram originalmente concebidas para treinamentos de busca e recolhimento com cães. Se você nem sabe o que é isso, então não tem nenhuma razão para possuir ou utilizar uma coleira desse tipo. Você nunca deve usar esse acessório para apenas passear o seu cão ".  (Jon Bastian, expert em treinamento canino)
Ao longo dos anos, utilizando um marketing "inteligente", os fabricantes transformaram esse dispositivo de treinamento em um dispositivo para todos os fins no cotidiano. Agora, devido à falta de conhecimento sobre como usar corretamente essa coleira, uma tonelada de lesões em cães e pessoas surgiram em todo o mundo.

As lesões mais comuns relatadas foram queimaduras e cortes, que geralmente acontecem quando o cabo "raspa" em alguém enquanto o cão se movimenta. Outras aconteceram quando o cabo enrolou no proprietário, em outras pessoas, no cão ou em outros cães.

As lesões podem acontecer nos olhos, na pele, mas no caso dos buldogues franceses o cenário é ainda mais grave. Essas coleiras não permitem que o dono controle totalmente seu cão, portanto fica difícil controlar frenchies encrenqueiros à distância. Além disso, solavancos são comuns, o que é péssimo para cães que sofrem de alta incidência de lesão medular como os buldogues franceses!


Os argumentos contra as coleiras retráteis são tão óbvios, que estou aqui pensando como não pensei neles antes! Vivendo, lendo e aprendendo. Hora de jogar isso fora!






Receba os posts por email:

Delivered by FeedBurner

siga-nos: