domingo, 14 de fevereiro de 2016

Guarda de recursos

Muitos sabem o que é a guarda de recursos: cães se comportando de forma agressiva quando em posse de algo (e algumas vezes para obter alguma coisa): comida, brinquedos, donos, caminhas, seu lugar favorito, etc.



Este é um comportamento natural dos cães, mas não quer dizer que seja aceitável! Por que é um comportamento natural? Quem teria mais chances de sobreviver: alguém que protegia sua comida, seu território ou alguém que abria mão de tudo isso numa boa?

Apesar de ser um comportamento natural da espécie canina, ele traz muitos problemas na vida em família. Imagine um cão que não tenha tido um treino prévio de aceitar a aproximação de humanos de sua comida, ou que qualquer coisa que seja dele. Ele pode morder. Agora, imagine se for um bebê engatinhando, se aproximando desse mesmo cão que não aceita aproximação alguma. Os acidentes podem ser muito sérios.

A prática da guarda de recursos entre cães pode ser algo ritualizado, quando os conflitos são resolvidos apenas na ameaça. Mas, algumas vezes, a agressão propriamente dita acontece. Os avisos mais comuns são:

- ficar parado (o cão está comendo e, quando alguém se aproxima, ele "congela")
- olhar "torto"
- comer mais rápido (quando guardam alimentos)
- mostrar os dentes
- rosnar
- avançar (sem morder)
- morder

Nem mesmo o menor sinal de guarda de recursos (ficar parado) deve ser ignorado por nós, que convivemos com nossos cães.

Como evitar?

Ensino que a aproximação humana sempre deve trazer consigo uma associação positiva para o cão: se me aproximo do cão enquanto ele está com um brinquedo, comendo, na caminha dele etc, sempre ofereço algo de imenso valor pra ele (um petisco que ele ame, por exemplo). E gradativamente vou fazendo a troca, até conseguir retirar o brinquedo/ossinho/comida dele em troca do petisco (e depois devolvendo). Este é o treino preventivo, para filhotes. Se seu cão já tem um problema de guarda de recursos, o treinamento é diferente, portanto o melhor a se fazer é procurar um profissional para lhe ajudar com o problema, evitando riscos.

Aqui, seguem dois vídeos interessantes sobre o treino preventivo feito em filhotes (o mesmo que eu faço):







Este texto foi integralmente redigido pela expert em comportamento canino Fúlvia Andrade.
Receba os posts por email:

Delivered by FeedBurner

siga-nos: