quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Meu buldogue francês come demais!!!

Assim como há os frenchies que vivem de vento, também há aqueles obcecados por comida!




Em geral, um grande apetite está associado à época do surto de crescimento, que vai do nascimento até, aproximadamente, os 6 meses de idade. Afinal, aumentar o peso de nascimento em mais de 40 vezes, em tão pouco tempo,  não ocorre magicamente!




Entretanto, há alguns cães que continuem comendo loucamente mesmo depois da fase de surto de crescimento. E há uma explicação evolutiva para esse fenômeno, que é muito mais frequente em cães da raça cocker spaniel ou golden retriever.

Cães são descendentes diretos dos lobos. E, embora um buldogue francês e um lobo sejam fisicamente muito diferentes, geneticamente eles são tão parecidos que podem até acasalar entre si e gerar prole fértil.




Lobos, em ambiente selvagem, quando caçam suas presas, são capazes de consumir quantidades absurdas de comida, de uma só vez, sem que o cérebro deles seja avisado que o estômago está cheio. Essa "falha de comunicação" entre os órgãos é importante porque a próxima refeição do lobo é incerta - então ele precisa comer o máximo que puder para "estocar" reservas energéticas, podendo permanecer em jejum nos dias seguintes. Aliás, o jejum é uma prática comum em todos os animais selvagens! Por isso, aqui em casa, além de alimentar nossos frenchies com alimentos biologicamente apropriados para a espécie deles, nós jejuávamos cães adultos e saudáveis 1x por semana.




Alguns cães domésticos mantêm essas mesmas características "gastronômicas" dos lobos - comem enquanto houver comida disponível. O problema é que esses cães não jejuam enquanto caçam a próxima refeição, são sedentários e passam a maior parte do dia, dentro de casa, fazendo nada - estão longe de se exercitar fisicamente como os lobos fazem.

A consequência disso é essa: obesidade.





Portanto, se você tem um frenchie que já saiu da fase de surto de crescimento e ainda se mantêm comilão, entenda que o problema dele não é fome: é a falta de comunicação entre o estômago e o cérebro.

Pondere a quantidade de comida que ele ingere,  porque sobrepeso e obesidade estão associados a muitas doenças, podendo diminuir em até 02 (dois) anos a expectativa de vida de um cão. O peso dos nossos cães é exclusivamente nossa responsabilidade. Afinal, eles não abrem a geladeira para pegar comida e não vão à padaria comprar pão, não é mesmo?






Receba os posts por email:

Delivered by FeedBurner

siga-nos: