quinta-feira, 7 de abril de 2016

O que você acha das pessoas que doam seus cães?

Frequentemente me fazem variantes dessa pergunta: "O que você acha das pessoas que doam seus cães?"

Respostas, a perguntas desse tipo, caminham por um terreno cheio de julgamentos de moralidade que prefiro evitar. Penso que a pergunta está equivocada, porque o foco não está no maior interessado - o cão. Portanto, não seria mais adequado pensar no bem-estar dele em vez de julgar as motivações (que não conhecemos) de quem vai doá-lo?

Conheço vários casos de pessoas que não podem mais manter seus cães, por motivos importantes, e que continuam a fazê-lo para evitar o julgamento alheio. Entretanto, os abandonam emocionalmente, no quintal ou no canil, até o dia que a morte vier buscá-los.

Então, lanço outra pergunta em resposta à pergunta original: é justo com o cão mantê-lo em um lar onde sua qualidade de vida está aquém da desejável?
Penso que não.
Obviamente,  quando falo em doar um cão não estou me referindo ao seu descarte! Doar e descartar são verbos absolutamente diferentes. Descartar é jogar fora. Doar é oferecer "algo" a alguém que demanda "alguma coisa".

Por isso, sou totalmente favorável às doações conscientes, que utilizam entrevistas e seleção criteriosa de pessoas aptas à adoção.  


A vida não é um fenômeno constante, imutável, e já vivi o bastante para aprender que os cães têm a maravilhosa qualidade de viver o dia de hoje, eles não se apegam a lembranças. Aliás, considerar que cães viverão infelizes porque foram doados por sua família original é uma forma de humanizar as emoções deles. 

Os animais também precisam de uma segunda chance quando o amor não dá certo! ♥





► Leia nossos textos: 




Receba os posts por email:

Delivered by FeedBurner

siga-nos: