sexta-feira, 8 de julho de 2016

Vermifugação preventiva?

Vamos começar este texto com a seguinte pergunta: você utilizaria medicamentos contra piolhos, de forma preventiva, em crianças que frequentam escolas? (afinal, escolas são locais potencialmente infestados de piolho...)

Imagino que a resposta seja um sonoro NÃO, é óbvio. Medicamentos contra piolhos são eficazes quando há infestação de piolhos, mas eles não a previnem.

Quando o tema é vermifugação de cães (e para humanos), a lógica é a mesma. Vermífugos matam vermes, mas não têm o poder de prevenir a infestação deles.

A característica farmacocinética que comprova que vermífugos não são medicamentos preventivos é a meia-vida deles, ou seja, o tempo que o medicamento mantém-se em níveis ótimos no corpo.

Meia-vida de alguns fármacos utilizados como vermífugos para cães:
  • Praziquantel: 48 minutos a 1,5 horas 
  • Pirantel:  21 a 35 horas
  • Ivermectina - 2 dias
  • Selamectina - 11 dias em cães
  • Moxidectina - 19 dias
  • Milbemicina - não encontrei informações sobre a sua farmacocinética em cães;
  • Doramectina - não encontrei informações sobre a sua farmacocinética em cães;
  • Eprinomectina - não encontrei informações sobre a sua farmacocinética em cães.

Depois de entender por quanto tempo um medicamento faz efeito, fica fácil entender que não há nenhuma lógica que explique a tal "vermifugação preventiva", não é mesmo? Além disso, medicamentos que mantêm níveis sanguíneos por bastante tempo (meia-vida longa) são um risco em potencial, uma vez que pacientes intoxicados após exposição a esses agentes podem requerer tratamento prolongado.

Por conhecer a farmacocinética dos medicamentos, não faço vermifugação preventiva, porque ela simplesmente não existe! Aqui em casa, só usamos vermífugos nos cães (e nos humanos) quando vemos vermes saindo pelo cocô ou quando o exame de fezes comprova a existência deles.

As verminoses comuns são doenças simples, de diagnóstico fácil e facilmente tratáveis. Os vermífugos são medicamentos com vasta gama de efeitos colaterais, inclusive potencialmente hepatotóxicos. Utilize-os com moderação!







Receba nossos posts por e-mail:

Delivered by FeedBurner

siga-nos: