quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Giardíase em filhotes

Todo ser vivo possui micro-organismos que são residentes naturais da sua microbiota oral, intestinal, vaginal, da pele, etc. A candida albicans, por exemplo, é um fungo que habita a mucosa vaginal da mulheres, sem que isso lhes cause problema algum. Apenas em situações especiais, que produzem redução da imunidade, ocorre o crescimento desse fungo e a candidíase se instala. No caso de pessoas muito imunodebilitadas, com AIDS, por exemplo, a baixa da imunidade é tão severa que a candidíase manifesta-se, inclusive, na mucosa oral.  Por isso, diz-se que a candidíase é uma doença oportunista, que aproveita episódios de debilidade imunológica para se manifestar.

Cães também apresentam doenças oportunistas: a giardíase é uma delas.
  
A giardia lamblia, protozoário microscópico causador da giardíase, é um residente natural do intestinos dos cães. Isso significa que a maioria dos cães tem a giardia lamblia convivendo harmoniosamente com outros micro-organismos em seus intestinos. Entretanto, em situações favoráveis, esse protozoário encontra brechas no sistema imunológico, se multiplicando voluptuosamente, até que um quadro de giardíase se instala.

Em filhotes, há 02 (duas) situações em que é clássico o desenvolvimento da giardíase:
  1. Logo após o desmame, com ração, quando o filhote ainda está com o criador;
  2. Pouco depois que o filhote vai para seu novo lar.

Em nossos tempos passados de criação de buldogues franceses, quando desmamávamos os filhotes com ração, a chegada ao 45º dia de vida dos buldoguinhos era sempre acompanhada de muito estresse. Diarreias eram inevitáveis! Àquela época, nós não entendíamos o porquê daquele quadro angustiante... eram dias de muito muco nas fezes, às vezes, sangue e muita diarreia. Hoje sabemos que os componentes das rações podem provocar colite em grande parte dos filhotes e a giardíase é uma infecção secundária à colite.

Conseguimos sanar em 100% o problema da colite pós-desmame quando passamos a desmamar os filhotes com alimentação natural - leia nosso post sobre isso.

Aliás, buldogues franceses de qualquer idade que apresentam quadros repetidos de giardíase precisam ter a dieta revisada. Uma alimentação inapropriada altera a microbiota intestinal, pode produzir colite e quadro secundário de giardíase. É óbvio pensar que problemas, em qualquer parte do sistema digestivo, devem envolver revisão da dieta, mas nem sempre isso acontece.

O Bento, por exemplo, sempre que come frango começa a produzir muco nas fezes. Se nós não removêssemos o frango da sua dieta, um quadro de giardíase se instalaria, sem sombra alguma de dúvidas. O muco intestinal é "terreno fértil" para crescimento da giardia lamblia.  No caso dele, de nada adiantaria entupi-lo de metronidazol, para tratar a giardíase, se o frango não for removido da dieta.

Outra situação comum para o aparecimento de quadros de giardíase é quando o filhote vai para um novo lar. Mudar de casa, abandonar para sempre a sua família canina, ser obrigado a deixar o lugar que conhece, onde nasceu, onde se sente confortável é um estresse absurdo até mesmo para nós, humanos! Por mais que seja bem recebido e bem tratado, a situação por si só é estressante, independentemente da idade do filhote.

Nessa situação, a queda da imunidade é esperada. Filhotes que mudam para um novo lar estão mais sujeitos a terem giardíase, otite e infecções de pele oportunistas. Todo tutor precisa saber disso. Também precisa saber que quanto mais novinho for o filhote, maior a probabilidade de isso acontecer de forma muito grave. 

Giardíase é mais frequente em cães que comem ração industrializada


Para saber mais sobre a giardíase, leia nossos posts:


Receba nossos posts por e-mail:

Delivered by FeedBurner
https://www.facebook.com/seubuldoguefrances/ https://www.instagram.com/seubuldoguefrances/