quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Ansiedade por separação

Tradução livre do texto "Vamos falar sobre o tratamento de ansiedade por separação", escrito pela renomada comportamentalista positivista Dra. Patrícia McConnell. Para ler o texto original, clique aqui.


Créditos da imagem desconhecidos. Por favor, avise-nos se souber.


Sempre "afogo as mágoas" em muito chocolate, quando preciso sair em uma viagem, porque acho muitoooo difícil dizer adeus aos meus cães. Mas, não sou a única que sofre quando estou separada de quem amo. A ansiedade por separação pode ser um problema sério e os cães que sofrem com isso podem entrar em pânico quando deixados em casa sozinhos: podem sujar a casa, destruir paredes e janelas, uivar horas a fio, ficar excessivamente agitados, se automutilar ou babar lagos inteiros de saliva quando você sai.

Ansiedade por separação é um problema sério e frustrante, mas há boas notícias: existe tratamento. É impossível descrever a solução desse problema em um texto de blog, porque a abordagem para a solução de cada caso é extremamente individual (sim! você precisa de orientação profissional para resolver esse problema), mas há 3 informações importantes que você precisa saber e que já pode ir colocando em prática: 


1. Não faça das suas chegadas e das suas saídas um evento! Sim, nós sabemos que é difícil chegar em casa e não fazer aquela festa - mas, infelizmente, isso não ajuda. Mostre ao seu cão que tanto a sua saída de casa, quanto a sua chegada não são "o evento do ano". Mantenha suas saudações silenciosas e restritas - você pode amar o seu cão e, ainda assim, ser sereno e pacífico.


2. Comece um plano de dessensibilização e contra-condicionamento. Ensine seu cão a se sentir calmo quando você sair. Quebre seu repertório da saída em pequenos passos e tome nota de quais ações desencadeam reações em seu cão. Em seguida, comece a condicionar cada gatilho, começando com o que aparece primeiro. Por exemplo, se o seu cão parece confortável até você pegar suas chaves, comece com elas: cinco vezes seguidas, pegue suas chaves, dê uma guloseima ao seu cão, abaixe as chaves, vá embora e volte a sentar no sofá. Você também pode desensibilizar o seu cão, pegando as chaves aleatoriamente ao longo do dia sem realmente ir a lugar algum.

Agora pense: o que faz seu cão reagir quando você sai de casa? Comece por aí!


3. Nunca puna seu cão por ele se comportar de forma inadequada. Isso vale para TODOS os comportamentos dos cães. A punição produz perda de confiança, restringe os laços de afeto e dificulta mais ainda a comunicação.  Se você chegar em casa e encontrar uma bagunça danada (xixi fora do lugar, objeto destruídos, etc.) , repreender o cão não fará nada além de piorar o quadro da próxima vez que você sair.


Nossa recomendação: invista do QVD do seu cachorro, se ele tem sinais de ansiedade por separação. A gestão do ambiente é importantíssima como prevenção e como tratamento desse problema.