quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Dominância em cães (ou má educação?)

Texto da comportamentalista positiva Cláudia Simões - proprietária da excelente creche canina Educãodo, de BH-MG.


Um assunto recorrente entre tutores é a dominância - ouço muito frases do tipo “meu cão se comporta 'assim' porque é dominante”. Mas será que ele é realmente dominante?

Primeiramente, deixamos claro que não a teoria do machos alpha ou da dominância dos cães é um equívoco, reconhecido, inclusive, por quem a hipotetizou. Para entender um pouco mais sobre esse assunto, assista ao vídeo abaixo do biólogo e pesquisador David Mech. 

David Mech foi a pessoa responsável por elaborar a hipótese da "teoria da dominância", baseado em um experimento feito com lobos em cativeiro:




Leia também este post (que aborda mais o pesquisador supracitado) e este também, que abordam a "dominância".

Mas, se vamos falar e explicar que não existe dominância qual é o assunto então? 

O assunto é: tutores (por falta de orientação adequada) e uma antiga escola/metodologia de adestradores (não embasados em ciência) que usam a dominância para explicar determinados comportamentos e pior, aceitar que eles aconteçam. No entanto, ressaltamos que muitos destes comportamentos não são adequados ao convívio social e não deveriam ser aceitos. 

Vejo com recorrência em parques, locais públicos cães importunando outros cão e tendo o seu tutor como defesa, com o seguinte discurso: meu cão é dominante (ou seja, no exíguo conhecimento dele, acerca do comportamento canino, o mau comportamento é imutável, normal e todos devem aceitar).

Sempre me lembro do trecho daquela famosa música da Gabriela, de Dorival Caymmi: “Eu nasci assim, eu cresci assim, eu sou mesmo assim, vou ser sempre assim...”. Mas será?

A verdade é que cães “dominantes” (pasme!), apenas não foram corretamente educados e socializados (tutor, não fique chateado comigo), e claro, castrados (no caso dos machos, o assunto é longo, deixo para depois, só digo agora o seguinte: não quer castrar? Direito seu. Mas eduque, é sua obrigação e já adianto que é trabalho dobrado. E não vale borrifar água na cara do cachorro toda vez que ele marcar território hein...).

Cães “dominantes” (mal educados) geralmente não aprenderam a respeitar o espaço alheio, não aprenderam sobre limites, sobre os sinais que os outros cães emitem quando estão desconfortáveis, não foram ensinados a conviver em um grupo de cães de maneira harmônica e muito provavelmente tiveram estes comportamentos inadequados reforçados de alguma maneira.  

Mas existe uma luz no fim do túnel, todo comportamento pode ser remodelado, mas claro, através de reforço positivo!

Finalizando, dominância é mito. Educação é fato. Não misture alhos com bugalhos.