quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Qual a doença que mais mata os cães?

Um estudo feito com os abrigos de animais nos EUA mostrou que 90% (noventa porcento) dos abandonos de cães acontece por causa de problemas de comportamento.

"Os problemas de comportamento são a razão mais comum pela qual as pessoas desistem de seus cães. Existem questões comportamentais muito sérias, como, por exemplo, morder ou agredir pessoas e outros animais. Entretanto, frequentemente, os cachorros são abandonados porque não aprenderam a fazer xixi e cocô no lugar certo, porque destroem a casa, porque latem demais ou porque não se dão bem com os outros animais da casa. Às vezes, a questão central são as expectativas elevadas de alguns tutores: "o cão precisa de muita atenção". A maioria dos problemas comportamentais pode ser trabalhada, mas as pessoas não têm o conhecimento ou o compromisso necessário para realizar o trabalho." Fonte: https://prime.peta.org


A chance de um cão adulto, com problemas comportamentais, ser adotado é praticamente nula. A solução para isso? O sentenciamento à morte. Só em 2017, quase 2 milhões de cães, com até 2 anos de idade foram executados (ou eutanasiados, se você preferir) nos abrigos dos EUA. Não existe nenhuma outra doença que mate tantos cães, em tão tenra idade.

Infelizmente, muitos dos cachorros que não são abandonados na rua, sofrem o abandono dentro dos seus próprios lares, sendo sentenciados a prisão perpétua, no quintal ou na área de serviço.


Particularmente, nunca vi um cão ser abandonado por ser feio ou porque tinha um olho só. Mas, vejo todos os dias cachorros serem sentenciados porque perdem muito pelo, por que latem, porque roem, porque fazem xixi e cocô no "lugar errado". Muitos tutores de cães ainda ficam surpreendidos quando descobrem que seu novo companheiro faz todos esses comportamentos que são perfeitamente normais, naturais e saudáveis para a espécie canina.

Por isso, invista em conhecimento! O comportamento também faz parte da beleza do animal que você levou para casa. Procure conhecê-lo!


Lembre-se sempre que, basicamente, o temperamento e os hábitos comportamentais (quer sejam adequados, quer não…), de um cachorro adulto, ganham forma enquanto ele são é filhote. Prevenir problemas de comportamento é muito fácil, quando se age precocemente, entretanto, a reabilitação costuma ser mais difícil, demorada e é pouco provável que o cão venha a ser o adulto que ele poderia ter sido.